Facebook 8 horas

Criação com Apego e a Teoria do Apego

criação com apego teoria do apego educação positiva criando com apego sono infantil

A criação com apego surgiu a partir de um estudo de vínculo desenvolvido por recém-nascidos com suas mães e cuidadores. A criação com apego valoriza a criação de vínculos fortes entre pais e filhos e existem dois pilares principais: contato olho a olho e troca emocional, que são facilitados  através da amamentação, com o bebê bem grudado em você e através da cama compartilhada (contato com a mãe durante o sono).

A criação com apego e a educação positiva ajuda os pais a despertarem uma visão e um comportamento empático com os filhos. O objetivo é identificar a necessidade dos pequenos e tentar se comunicar por trás desse comportamento.

O apego seguro é muito importante para a qualidade da relação afetiva entre pais e filhos. Além de fortalecer a relação, protege a saúde mental dos pequenos. A teoria do apego é voltada para os pequenos e nas suas necessidades vitais. Uma vez que sabemos identificar suas necessidades, evitamos que entrem em estado de alerta, permitindo que sejam cada vez mais espontâneos e emocionalmente saudáveis, o que impacta positivamente nos comportamentos, alimentação e sono (que comumente são os principais desafios das famílias).

 

Teoria do apego – Criação com apego

O objetivo da criação com apego é garantir a segurança física, psíquica e emocional da criança. Além disso, quando estamos criando com apego, garantimos as necessidades básicas da criança e isso se dá pela proximidade, proteção, previsibilidade e diversão.

Idealizada nos anos de 1950, a criação com apego destaca a necessidade de segurança no começo da vida, e isso significa as crianças estarem perto dos pais/cuidadores. A proximidade com os pais ou cuidadores é o ponto de partida para que a criança desenvolva uma ligação segura com adultos. 

Essa proximidade é especialmente importante nos primeiros anos de vida. Sabemos que um bebê é incapaz de cuidar de si mesmo. Ele depende dos pais para conseguir alimento, saciar-se da necessidade de contato, carinho, dormir e aprender sobre o mundo e suas relações. Essa relação entre pais e filhos é o principal campo de estudo da teoria do apego. Entendermos que o mundo da criança se resume aos pais (principalmente à figura maternal) e que tudo o que vivenciarem neste contexto, reflete em sua maneira como se relaciona com o mundo.

A proximidade física é o ponto de partida para que a criança se desenvolva, mas é mantido e garantido com a proximidade emocional: tempo de qualidade, troca, assistência empática, respeito às necessidades do bebê, entendendo e respondendo prontamente à sua dependência física e emocional. Esse tipo de atitude pode facilitar, inclusive, o sono infantil, e isso é explicado por que, ao responder atentamente às demandas do filho, a mãe o prepara para desenvolver o controle das próprias ações.

 

Sono infantil Criando com apego

Sabe-se que os padrões de sono dos bebês são diferentes dos padrões dos adultos. Cuidar de um bebê demanda tempo, paciência e esses cuidados podem influenciar diretamente no sono do bebê.

A criação com apego possui princípios que não se trata de regras, mas orientações. E essas orientações podem influenciar diretamente no sono infantil. Uma das garantias da relação de apego seguro é a segurança, física e emocional. Nos primeiros meses, valoriza-se a amamentação ( se a mãe não puder amamentar, que seja a única a alimentar, mantendo assim essa relação próxima e importante), aconselha-se  que o bebê durma próximo à mãe, que não tenha muitos cuidadores (que a mãe busque apoio a todas as outras demandas, de maneira que tenha disponibilidade física e emocional ao bebê. Isso vai garantir um sono mais tranquilo e seguro para o bebê e para a mãe! É um método praticado em várias culturas e é vista como um benefício para a família.

Outro ponto que pode influenciar no sono do bebê é a prática da educação positiva que prega o tratamento do bebê do mesmo jeito que você gostaria de ser tratado. A empatia é a palavra-chave nesse princípio.

Quer saber mais sobre criação com apego, teoria do apego, educação positiva e sono infantil? Entre em nosso blog.

Criação com apego – entenda a teoria do apego

criação com apego teoria do apego educação positiva criando com apego sono infantil

Você já deve ter escutado a expressão “criação com apego” ou “criando com apego” e “teoria do apego”. Isso se trata de algumas técnicas que valorizam a criação de vínculos fortes entre pais e filhos.

Alguns defensores da criação com apego reforçam três pilares principais: amamentação, bebê bem grudado em você e cama compartilhada entre pais e filhos. A ideia principal é que os pais mantenham esses hábitos até que as crianças cresçam e elas mesmas decidam que não querem mais.

Mas na verdade, a criação com apego é uma filosofia e ciência bem mais ampla. Ela não se resume apenas nesses três pilares. Criando com apego não significa que você tem que amamentar por muitos anos, ou dividir a cama com a criança já crescida.

A ideia desse tipo de criação é garantir a segurança emocional da criança e, para isso, a teoria do apego defende que a criança deve ter suas necessidades básicas atendidas prontamente, com empatia, respeito, dedicação e paciência. Inclusive baseia estas afirmações com inúmeros estudos neurocientíficos, que comprovam o desenvolvimento harmônico e organizado de um cérebro que vivencia relações de respeito e amorosidade.

Criando com apegoEducação Positiva

A criação com apego tem o objetivo de garantir a segurança física, psíquica e emocional da criança, como falamos anteriormente. Além disso, garantir suas necessidades básicas, que se resumem em: proximidade, proteção, previsibilidade e diversão.

A teoria do apego foi idealizada nos anos de 1950 e destaca que os bebês têm uma forte necessidade de segurança no começo da vida (necessidade esta que, não correspondida, transforma todo o curso de sua vida psíquica e emocional) e que isso significa estar perto de quem cuida deles.

A proximidade com os pais ou cuidadores, é o ponto de partida para que a criança desenvolva uma ligação segura com adultos, de acordo com o movimento de “criação com apego”. Essa proximidade física é especialmente importante nos primeiros anos de vida. Manter o bebê perto faz com que a pessoa que cuida dele, geralmente a mãe, seja capaz de responder prontamente às suas necessidades.

Esse tipo de atitude pode facilitar INCLUSIVE o sono infantil , e isso é explicado porque, ao responder atentamente às demandas do filho, a mãe o prepara para desenvolver o controle das próprias ações. Ao desenvolver esse controle e a segurança, o bebê se sente mais seguro para dormir e amamentar, por exemplo.

Quando a criança nasce pode ser difícil saber do que ele está precisando em determinados momentos. Mas existem algumas maneiras de atender às necessidades dele se você quiser seguir com a criação com apego:

  • É essencial amamentar por livre demanda, ou seja, dar de mamar sempre que o bebê quiser. Além de se sentir alimentado, o bebê se sente aconchegado pelo cheiro e calor da pele materna. Entender que vai além do alimento!
  • Se o bebê toma leite na mamadeira, a mãe pode segurá-lo próximo, olhar nos olhos dele e prestar atenção aos sinais de que mamou o suficiente, evitando que outros cuidadores o alimentem. Ter um cuidador principal, como ocorre no seio, faz-se imprescindível.
  • Colocar o bebê em um carregador do tipo mochila ou sling, considerando que precisam de contato não só quando choram.
  • Dormir no mesmo quarto que o bebê (ou na mesma cama), para atendê-lo rapidamente à noite.
  • Conversar com o bebê e interagir quando ele estiver desperto.
  • Tratar o choro da criança – e as birras, conforme vai crescendo – como a maneira que ela tem para se comunicar. Quando o bebê está chorando, significa que ele está pedindo ajuda ou orientação e conforto quando tem um acesso de raiva.

Sono InfantilEducação Positiva e Apego Seguro

Através dessas experiências, a criança se sentirá mais confortável para dormir (ponto positivo para o sono infantil) e, levando a criação da criança dessa maneira você poderá, logo, utilizar da educação positiva.

A educação positiva é um tipo de educação baseada na positividade. Sem punições e sem recompensas. É uma forma de educar a criança preocupando com sua formação integral. Com foco em afeto, compreensão, respeito mútuo e aprendizado mútuo.Quer saber mais sobre a educação positiva, sono infantil, apego seguro e a teoria do apego? Acesse nosso blog.

Parentalidade consciente – Criação com Apego

criacao-com-apego-autoconfiançac-autoestima

A Educação positiva tem como objetivo criar pessoas íntegras, empáticas, saudáveis e felizes. Pais que utilizam da educação positiva e a criação com apego estão promovendo uma relação de qualidade. Promove educação, autoconfiança, autoestima, integridade e o mais importante: uma pessoa mais ciente dos limites que existem na sua vida e na vida de todos ao seu redor.

Através da criação com apego as crianças se tornam mais independentes e são capazes de tomar decisões sem os pais ao lado. Ela se torna autodisciplinada, incentivada a pensar, aprende se escutar e escutar os outros, entre outros benefícios.

A Parentalidade consciente parte do pressuposto de que ao gerar um filho e, ao mesmo tempo que mãe e pais e preparam para o nascimento, também se devem preparar para a Parentalidade. São necessários alguns passos para que os pais atinjam a Parentalidade positiva e nessa postagem vamos falar alguns desses passos.

Teoria do apego – Positividade

Na teoria do apego, a Parentalidade é sinônimo de tomar conta. Significa assumir responsabilidades e comportamentos para otimizar o crescimento e estimular o desenvolvimento da criança respeitando a sua integridade enquanto ser único e independente.

É importante garantir as necessidades da criança em cada uma de suas fases de desenvolvimento e a criação com apego pode garantir isso. A criação com apego é uma forma de educação que auxilia os pais a estreitar os vínculos com os filhos, respeitando suas necessidades e ajudando a desenvolver a empatia, compaixão ao próximo, a autoconfiança e a autoestima. O objetivo é único: transformar as crianças em seres humanos mais empáticos, independentes e seguros de si.

Dimensões da Parentalidade Positiva – Educação positiva

A valorização das emoções positivas como a felicidade, os talentos, o saudável relacionamento social com os pares ou o incentivo do desenvolvimento dos interesses e pontos fortes das pessoas são cruciais para a construção de uma personalidade positiva e para o desenvolvimento da criança. E para que isso aconteça, é importante que os pais aprendam as cinco dimensões da Parentalidade positiva:

  1. Conhecer as necessidades físicas das crianças.
  2. Promover a segurança da criança.
  3. Promover o desenvolvimento, comportamento e a estimulação da criança.
  4. Comunicar de forma positiva e não violenta.
  5. Exercer uma disciplina positiva.

A Parentalidade positiva surgiu com a necessidade de encontrar estratégias de lidar contra a violência e maus tratos infantis tendo como base o trabalho desenvolvido junto dos pais/cuidadores. Ela se refere ao comportamento dos progenitores respeitador dos melhores interesses e direitos das crianças. Ela não é uma Parentalidade permissiva, pois estabelece limites que as crianças precisam para as ajudar a desenvolver o seu potencial.

Compreender a natureza dos filhos, entender as características da sua fase de desenvolvimento, colocar limites com empatia, respeitar os seus sentimentos, investir na qualidade do vínculo, disciplinar sem castigar, deixá-los aprender com as consequências de suas escolhas e a importância da comunicação são algumas estratégias que podemos aprender com a Parentalidade Positiva.

Quer saber mais sobre Parentalidade positiva e criação com apego? Em outras postagens falamos sobre esses temas. Em nosso blog você também vai encontrar postagens sobre como melhorar o sono do bebê e o desmame natural e gentil.