Facebook 8 horas

Educação positiva – Como educar através da disciplina positiva?

A filosofia da disciplina positiva preconiza que usemos a firmeza com a gentileza na educação dos filhos, abrindo mão de punições, castigos ou recompensas. A educação dos filhos é uma grande responsabilidade e dentre as abordagens de educação que existem, além da disciplina positiva, vamos falar sobre a parentalidade consciente e a educação positiva.

A filosofia intitulada como Criando com apego ou criação com apego tem como um dos pilares atitudes relacionadas à disciplina positiva, considerando que é um estilo parental que aposta na gentileza, respeito e amor com as crianças. Dessa maneira você ajuda no desenvolvimento da criança para que se tornem seres mais independentes e criem uma relação com base em respeito mútuo.

Como falamos, educar os filhos pode ser um grande desafio e muitas pessoas costumam agir por tentativa, e acabam repetindo padrões que lhe foram passados em sua infância. Essas pessoas tentam lembrar como foram criadas e educadas e tentam replicar alguns métodos. Isso pode dificultar a relação com os filhos que estão sob sua responsabilidade e cuidado.

Nessa publicação vamos falar sobre a disciplina positiva, educador parental e a parentalidade consciente no que se diz respeito à educação das crianças.

Educador ParentalEducação positiva

A educação positiva tem como base olhar a criança por inteiro, entendendo que é um indivíduo INTEIRO, com necessidades importantes a serem respondidas. A criação com gentileza, sem punição, castigo ou recompensa e molda os relacionamentos com equilíbrio e respeito mútuo, uma vez que nos permite enxergar a criança como merecedora em ter suas necessidades atendidas, pois é completamente dependente e vulnerável. 

Uma criança educada através da parentalidade consciente e positiva se torna um adulto mais organizado emocionalmente, com autoestima e capaz de entender as necessidades dos outros, ou seja, se torna um ser humano mais empático.

A parentalidade positiva está ligada à construção de vínculo, ou seja, com a criação com apego e, diferente da educação tradicional, onde o foco é a obediência, a disciplina e os cuidados físicos, sem considerar os prejuízos psicoemocionais. Na educação tradicional (autoritarismo), os pais se colocam como uma figura hierárquica dentro do processo de ensino-aprendizado, desrespeitando os limites da criança. 

A parentalidade consciente é permite que os pais assumam sua responsabilidade sobre o desenvolvimento físico e emocional da criança, o que os torna verdadeiramente adultos com reponsabilidade social, uma vez que tiveram preservadas sua autoestima e respeito por si e pelo outro. Para tal, os pais precisam transformar seus próprios comportamentos para melhorar o relacionamento com seus filhos e estimular a criança, respeitando sua integridade.

Criando com apego Parentalidade consciente

Existem algumas pautas que podem nos ajudar a educar através da disciplina positiva, são eles:

  1. Coloque-se no lugar da criança.
  2. Pratique uma comunicação não violenta
  3. Seja o seu maior exemplo.
  4. Cumpra com o que prometer.
  5. Seja firme, considerando como importante preservar a segurança da criança.
  6. Pratique a empatia.
  7. Busque soluções para os problemas.
  8. acredite na busca natural da criança por autonomia.
  9. Não rotule a criança.
  10.  Atue sempre com respeito.

É muito importante buscar sempre o equilíbrio. Se você for apenas firme com a criança, só trará perspectiva de suas próprias necessidades, sendo a ordem a questão mais importante. Esse tipo de pensamento te levará a um lugar de controle, conhecido como modelo parental autoritário.

Se você for apenas gentil, você não vai passar limites seguros. Esse modelo é conhecido como parental permissivo, onde o foco é apenas o prazer do adulto, se ‘libertando’ da criança. Ela pode fazer o que quiser e acaba se sentindo abandonado ou superestimado, uma vez que decide ou escolhe sem se sentir preparado para alguma responsabilidade.

Quer saber mais sobre educação positiva, disciplina positiva, criando com apego, educador parental e parentalidade consciente? Entre em nosso blog.

Criação com Apego e a Teoria do Apego

criação com apego teoria do apego educação positiva criando com apego sono infantil

A criação com apego surgiu a partir de um estudo de vínculo desenvolvido por recém-nascidos com suas mães e cuidadores. A criação com apego valoriza a criação de vínculos fortes entre pais e filhos e existem dois pilares principais: contato olho a olho e troca emocional, que são facilitados  através da amamentação, com o bebê bem grudado em você e através da cama compartilhada (contato com a mãe durante o sono).

A criação com apego e a educação positiva ajuda os pais a despertarem uma visão e um comportamento empático com os filhos. O objetivo é identificar a necessidade dos pequenos e tentar se comunicar por trás desse comportamento.

O apego seguro é muito importante para a qualidade da relação afetiva entre pais e filhos. Além de fortalecer a relação, protege a saúde mental dos pequenos. A teoria do apego é voltada para os pequenos e nas suas necessidades vitais. Uma vez que sabemos identificar suas necessidades, evitamos que entrem em estado de alerta, permitindo que sejam cada vez mais espontâneos e emocionalmente saudáveis, o que impacta positivamente nos comportamentos, alimentação e sono (que comumente são os principais desafios das famílias).

 

Teoria do apego – Criação com apego

O objetivo da criação com apego é garantir a segurança física, psíquica e emocional da criança. Além disso, quando estamos criando com apego, garantimos as necessidades básicas da criança e isso se dá pela proximidade, proteção, previsibilidade e diversão.

Idealizada nos anos de 1950, a criação com apego destaca a necessidade de segurança no começo da vida, e isso significa as crianças estarem perto dos pais/cuidadores. A proximidade com os pais ou cuidadores é o ponto de partida para que a criança desenvolva uma ligação segura com adultos. 

Essa proximidade é especialmente importante nos primeiros anos de vida. Sabemos que um bebê é incapaz de cuidar de si mesmo. Ele depende dos pais para conseguir alimento, saciar-se da necessidade de contato, carinho, dormir e aprender sobre o mundo e suas relações. Essa relação entre pais e filhos é o principal campo de estudo da teoria do apego. Entendermos que o mundo da criança se resume aos pais (principalmente à figura maternal) e que tudo o que vivenciarem neste contexto, reflete em sua maneira como se relaciona com o mundo.

A proximidade física é o ponto de partida para que a criança se desenvolva, mas é mantido e garantido com a proximidade emocional: tempo de qualidade, troca, assistência empática, respeito às necessidades do bebê, entendendo e respondendo prontamente à sua dependência física e emocional. Esse tipo de atitude pode facilitar, inclusive, o sono infantil, e isso é explicado por que, ao responder atentamente às demandas do filho, a mãe o prepara para desenvolver o controle das próprias ações.

 

Sono infantil Criando com apego

Sabe-se que os padrões de sono dos bebês são diferentes dos padrões dos adultos. Cuidar de um bebê demanda tempo, paciência e esses cuidados podem influenciar diretamente no sono do bebê.

A criação com apego possui princípios que não se trata de regras, mas orientações. E essas orientações podem influenciar diretamente no sono infantil. Uma das garantias da relação de apego seguro é a segurança, física e emocional. Nos primeiros meses, valoriza-se a amamentação ( se a mãe não puder amamentar, que seja a única a alimentar, mantendo assim essa relação próxima e importante), aconselha-se  que o bebê durma próximo à mãe, que não tenha muitos cuidadores (que a mãe busque apoio a todas as outras demandas, de maneira que tenha disponibilidade física e emocional ao bebê. Isso vai garantir um sono mais tranquilo e seguro para o bebê e para a mãe! É um método praticado em várias culturas e é vista como um benefício para a família.

Outro ponto que pode influenciar no sono do bebê é a prática da educação positiva que prega o tratamento do bebê do mesmo jeito que você gostaria de ser tratado. A empatia é a palavra-chave nesse princípio.

Quer saber mais sobre criação com apego, teoria do apego, educação positiva e sono infantil? Entre em nosso blog.

Educação positiva – Como transformar a relação com seu filho

disciplina positiva criando com apego educação positiva parentalidade positiva sono infantil

Todos sabemos que educar um filho é uma grande responsabilidade e um grande desafio para os pais. Dentre as abordagens de educação, vamos falar da disciplina positiva e da educação positiva.

Sabe se que criando com apego, utilizando também a disciplina positiva, apostamos na firmeza, gentileza, respeito e amor para com os pequenos. E assim você ajuda no desenvolvimento da criança para que se tornem seres mais independentes promovendo uma relação com os pais com base em respeito mútuo.

Nessa publicação vamos falar sobre como transformar a relação com o seu filho através do apego seguro, parentalidade positiva e educação positiva.

Sono InfantilCriando com apego

Um dos pontos que podem melhorar a relação dos pais com os filhos, criando com apego, é com relação ao sono infantil. O sono infantil não é tão complexo de entender e a educação positiva e o apego seguro possuem ferramentas para ajudar a compreender o seu funcionamento.

A criação com apego zela pela autoestima, carinho, empatia e ajuda a desenvolver a autonomia da criança, além de transmitir segurança e independência. 

O sono infantil é um reflexo do dia e o estresse pode atrapalhar o sono do bebê. As crianças se estressam bastante, principalmente por elas ainda não saberem lidar com certos tipos de sentimentos: com suas necessidades básicas não atendidas (muitas vezes são respondidas, mãs os pais não são assertivos, não entendem exatamente o que o bebê precisa). Mas estas necessidades compreendem fome, frio, calor, necessidade de contato, de troca emocional… Às vezes as crianças estão estressadas e nem imaginamos que isso está acontecendo ou pode acontecer.

Como falamos em outra publicação, é de extrema importância saber que o ciclo de sono do bebê recebe influências biológicas, ambientais e sociais. Conhecer as peculiaridades de cada fase norteia as expectativas dos pais, permitindo fazer ajustes de hábitos. A evolução da rotina do sono é um processo que exige mais tempo do que treinamento.

Quer saber mais sobre o sono infantil e criação com apego? Veja nesse link.

Disciplina positiva – benefícios

O principal objetivo da parentalidade positiva é fazer com que a criança perceba seus limites,  através do respeito que seus pais têm por seus limites infantis. Uma criança educada através da parentalidade positiva e do apego seguro se torna um adulto organizado emocionalmente, com autoestima e, consequentemente, capaz de entender as necessidades dos outros. Ele se torna um ser humano mais empático. Na verdade, devolve para o mundo aquilo que recebeu.

Como falamos, o respeito, empatia, gentileza, autonomia e limites são pontos que a parentalidade positiva promove. E o primeiro passo para seguir esse tipo de ensinamento é desconstruir a maneira como você foi educado na sua infância.

A disciplina positiva está cada vez mais em uso e ela ajuda os pais e familiares a recorrer a estratégias e desconstruir crenças para lidarem com suas crianças e adolescentes.

Com a mudança na maneira de educar os pais se veem mais aptos a agir de forma diferente, principalmente com o suporte da criação com apego, que ajuda no desenvolvimento do autoconhecimento e incentiva a propagação do amor verdadeiro dentro das famílias.

Quer saber mais sobre disciplina positiva, criando com apego, parentalidade positiva e sono infantil? Veja em nosso blog.

Parentalidade positiva – Como aplicar a disciplina positiva?

parentalidade positiva disciplina positiva criando com apego educação positiva parentalidade consciente

A parentalidade positiva é a tomada de consciência com relação às responsabilidades e comportamentos para melhorar a convivência com os filhos e para auxiliar no crescimento e estimulação do desenvolvimento da criança. Aplicada junto a educação positiva, significa respeitar a integridade da criança enquanto um ser único e independente.

A educação positiva preconiza o uso da não violência entre pais e filhos. É baseada em respeito mútuo e sua base é o respeito com os filhos no que se diz respeito à humanidade. Antes de ser um filho, ele é um ser humano.

Nessa publicação vamos falar um pouco mais sobre a parentalidade consciente e positiva. 

Criando com apegoDisciplina positiva

Criar com apego é uma maneira de ajudar no desenvolvimento das crianças tornando-as felizes e contribuindo para que elas saibam lidar com as situações adversas da vida de forma independente.

A forma com que as pessoas escolhem educar seus filhos vai definir como eles vão ser quando adultos. A educação positiva, criando com apego, ajuda no desenvolvimento da criança e isso vai refletir positivamente quando a criança for adulta. A parentalidade consciente preza pela educação gentil e firme com os filhos. Ajuda as crianças a se comunicarem além dos comportamentos, desenvolvendo responsabilidade pessoal. E consequentemente cooperação e habilidades de resolução de problemas.

A parentalidade positiva pode influenciar de várias maneiras na vida da criança. Fatores como o sono infantil, autoestima, confiança, entre outros, são pontos que a parentalidade consciente positiva desenvolve ou garante a integridade (você sabia que a autoestima pode ser destruída através de nossas ações desde o nascimento? E que o ‘desenvolvimento’ dela é infinitamente mais difícil de ser promovido?)

Tomando esses fatores como base e pensando nas necessidades das crianças em cada uma das suas fases de desenvolvimento é o foco da parentalidade positiva. É importante prestar atenção nas necessidades das crianças particularmente até os 7 anos de idade, que é um período de maior vulnerabilidade e dependência face aos seus cuidadores.

A disciplina positiva consiste no equilíbrio entre as formas de educar. Não é permissiva e nem rígida, ensina a ser gentil e firme ao mesmo tempo. Acabar com a rigidez e a punição em um lar não consiste em deixar o filho fazer o que quiser, mas em garantir o respeito mútuo. 

O importante é estreitar os laços com os pais e ter um suporte para aprimorar o comportamento diante do mundo.

Parentalidade consciente – Parentalidade Positiva

É importante frisar que as trocas afetivas entre pais e filhos e a sensibilidade dos pais para interpretar as necessidades da criança são funções fundamentais na parentalidade consciente positiva. É importante que os pais saibam responder a essas necessidades com autenticidade e coerência.

O apego seguro se baseia no entendimento dos pais quanto às necessidades da criança. Entender suas necessidades são prioridades. Porém, é importante que os pais também saibam interpretar suas próprias necessidades para poderem atender a necessidade dos filhos, o que gera um equilíbrio saudável, com consciência da fragilidade da criança, da real dependência e expectativas reais também em relação às demandas naturais da criança.

Outro ponto importante é a ligação da disciplina positiva desde os primeiros anos de vida da criança. É importante conectar-se com sua família, comunidade e escola, pois ao fazer isso a tendência é que a criança apresente menos comportamentos inadequados com o tempo, uma vez que sempre foi respondida segundo suas necessidades. Do atendimento à dependência, constrói-se a autonomia.

Educar com recompensas e punição não cria adultos bem-sucedidos. Punir gera rancor e a recompensa pode gerar incapacidade e sensação de menos valor, uma vez que é corrompida suas necessidades para atender a necessidade dos pais. 

Quer saber mais sobre parentalidade positiva, disciplina positiva, criando com apego e parentalidade consciente? Entre em nosso blog.

Como ajudar uma criança no desfralde gentil?

desfralde gentil desfralde infantil desfralde natural como tirar a fralda educação positiva

O desfralde infantil é um processo que deve acontecer naturalmente. Iniciar o desfralde requer respeito e gentileza com a criança, pois a criança é o protagonista e o papel dos pais é apenas de supervisionar e apoiá-los. O desfralde acontece quando  a criança começa a demonstrar sinais de que não precisa mais das fraldas.

O desfralde é um processo que não é aprendido, ele acontece de forma natural e entra na lista dos grandes desenvolvimentos da criança, como andar, falar e escolher os alimentos que vai comer em suas refeições. 

Desfralde natural – como tirar a fralda

Como falamos, o desfralde infantil está na lista dos grandes desenvolvimentos das crianças e assim como todos os processos, depende de fatores emocionais, cognitivos e motores para se concretizar. Por isso, conduzir o desfralde forçando a criança a desfraldar, ou ensiná-la forçadamente por métodos duvidosos, como urinar em si mesma, pode provocar mais trauma do que autonomia.

De modo geral, o que se entende superficialmente sobre o desfralde infantil é que a partir dos dois anos as crianças controlam seus esfíncteres. Mas esse controle é relativo, já que ele pode acontecer em épocas distintas para cada criança. A realidade é que os pais precisam estar com a percepção aberta para notar os sinais, com paciência e disposição para entender que como em todo processo de desenvolvimento, há avanços e retrocessos até a criança se desenvolver.

O processo de desfralde se inicia pela criança. Ela se sente incomodada com a fralda molhada e acaba pedindo para fazer no vaso. E ela não faz isso para agradar os pais, mas porque não se sentem confortáveis com o uso das fraldas. É super importante entender que a criança estará passando por uma fase leve e consciente de si e de suas capacidades e necessidades.

A educação positiva tem o objetivo de educar com foco no afeto, compreensão e no respeito com as necessidades da criança. E no momento que a criança se mostra preparada para o desfralde, cabe aos pais compreenderem a situação e apoiá-la no dia a dia. 

É importante que os pais fiquem atentos aos comportamentos da criança durante o desfralde. Estamos falando de fases da criança durante o processo de desfralde. Primeiramente, a criança faz xixi e cocô e só avisa depois. Em seguida, a criança avisa na hora que está fazendo. Por fim, ela avisa que está com vontade de ir ao banheiro. É nessa fase, quando a criança mostra a necessidade antes de fazer, que o desfralde está bem encaminhado.

Além disso, temos outros sinais, como:

  1. A criança fica agachada ou sentada em uma posição durante até 2 minutos.
  2. Abaixa e levanta a calcinha ou cueca e a calça.
  3. Fica incomodada quando a fralda está suja e/ou cheia.

Desfralde Infantil

Após demonstrar os sinais que já falamos acima, a criança entra em uma fase que começa a aprender ir ao banheiro sozinha, sentar no vaso sanitário e ficar seca por várias horas, retirar a fralda sozinha e saber comunicar o desejo de fazer xixi ou evacuar.

É aí que nos tocamos que acreditava-se que existia uma metodologia de como tirar a fralda, mas, na verdade, o grande passo é esperar o tempo da criança e seu amadurecimento. Dicas e estratégias para facilitar o processo ou acelerá-lo, só impactam no desfralde noturno, que promovem enurese por anos e ainda o desconhecimento do próprio corpo e das sensações de exceção, que são imprescindíveis para uma sexualidade equilibrada no futuro, com o conhecimento do próprio corpo, seus limites e prazeres.

Quer saber mais sobre desfralde gentil, desfralde infantil, desfralde natural e educação positiva? Entre em nosso blog.