Facebook 8 horas

Como fazer um desmame gentil – Criação com apego

desmame gentil desmame natural desmame noturno criação com apego disciplina positiva

O desmame é uma das palavras mais comentadas atualmente entre as mães. O desmame é um processo de redução da frequência das mamadas. É importante lembrar que o aleitamento materno exclusivo é recomendado até os 6 meses de idade, sem que sejam ofertados sucos, água e chás nesse período. Apenas a partir do sexto mês é que se deve pensar na introdução alimentar e iniciar o processo de desmame gentil, desmame natural e desmame noturno.

O desmame natural pode se estender até 1 ou 2 anos de vida ou mais e, aos 2 anos de idade, a criança já deve estar recebendo outras refeições completas como almoço, jantar e lanches. Para fazer o desmame gentil é importante desenvolver outras formas de contato e conexão, de forma que a criança se sinta próxima da mãe, independente do ato de amamentar ou não.

Algumas crianças conseguem se ajustar melhor a essa nova realidade considerando que se sentem livres para explorar o mundo e que, mesmo sem amamentar sentem a presença e o carinho da mãe. Para tal, é importante que esteja atenta a distinguir em quais momentos a criança sente fome e quais os momentos de fome emocional, ou seja, que busca o seio por necessidade de contato e proteção.

Enquanto o reconhecimento das necessidades nutricionais x emocionais não estiverem claras, não pense em realizar um desmame noturno, pois só aumentará o estresse e desafios com o sono e outros aspectos da vida da criança.

 

Desmame natural e gentil – Disciplina Positiva

Muitas mães se questionam quando é a hora de desmamar seu filho. Algumas optam por desmamar só de madrugada, enquanto outras querem tirar o bebê totalmente do peito. A recomendação é que inicie durante o dia, oferecendo mais contato e conexão, de foram que o desmame verdadeiramente cumpra seu papel e que a relação entre mãe e filho seja baseada em respeito.

Primeiramente, é preciso que a mãe se informe e saiba quais os benefícios da amamentação prolongada e da livre demanda. Depois, se tiver certeza do que quer, pode realizar o processo de desmame gentil.

Para ficar claro:

É importante saber que o desmame pode ser feito de forma passiva, ou seja, a mãe permite que o amamentar seja guiado pela criança, que vai se desconectando da amamentação à medida que encontra no mundo externo o mesmo acolhimento e contato. 

A mãe acreditar que oferecer o peito só antes da criança dormir ou em determinados momentos que ela “combinar” com a criança, seja o caminho para ideal para o desmame, não é! Para o desmame a mãe precisa  aprender outras formas de atender às necessidades do filho até encerrar por completo a amamentação.

O que se não deve fazer é o desmame abrupto. Que significa retirar o peito da criança de um dia para o outro (incluindo usando o pai como ‘responsável’ pelo afastamento ao seio. Isso pode gerar uma insegurança e frustração do pequeno, além desconexão com o pai, insegurança em relação ao papel protetor da mãe…o que vai de contra a criação com apego e a disciplina positiva.

Outro ponto: pressão social. Muitas mães se sentem pressionadas quando ao desmame. Isso pode trazer malefícios para a relação entre a mãe e o pequeno. Fica mais difícil e sem sentido conduzir o desmame dessa maneira. Tanto a mãe quanto o filho não querem modificar essa relação e estão sendo conduzidos a se desconectarem, quando obrigados a fazê-los por fatores externos. Isso é sério e acontece. Se você acredita que o desmame é para atender as necessidades do marido ou da sociedade, avalie quem é a criança neste contexto, pois é quem deve ser protegido.

O que as mães podem colocar em mente é que o desmame não é 8 ou 80. Aleitamento em livre demanda ou desmame total. É uma dança com a criança, de amor, respeito e sensibilidade.

Por favor: não acredite que o desmame pode ser direcionado através de conversas com o filho. Eles entendem o que dizemos e, muitas vezes, não conseguem se expressar da mesma forma. ‘Combinados’ para deixar de mamar em um ou outro momento só atendem à mãe, não à criança. Se ela mama, é porque tem necessidades emocionais conjugadas a necessidades físicas. Nós transformamos isso, não a criança! Se deseja mesmo desmamar, mude sua entrega, aumente momentos de contato e troca emocional e perceberá que a criança evolui na relação, junto com a mãe!

Como fazer o desmame natural – Aleitamento materno

desmame natural desmame gentil amamentação aleitamento materno desmame noturno

A amamentação é um dos maiores desafios da maternidade, porém, é ela quem cria elos que as mães temem em romper. Quando falamos sobre o desmame natural e desmame gentil, existem diversas pessoas, com diversas opiniões, quando se trata da melhor hora para interromper a amamentação.

O aleitamento materno é essencial para bebês de até dois anos de idade e a OMS recomenda que o aleitamento seja realizado por esse período, no mínimo. Ainda sobre o aleitamento, é normal que muitas das crianças desmamem por volta dos dois anos e seis meses de idade, o que é chamado (segundo diversas teorias), de desmame natural.

Nessa publicação vamos falar sobre o desmame natural e sobre como descomplicar sua rotina para dar início ao processo de desmame.

Desmame noturno e desmame gentil

É normal que bebês acordem várias vezes a noite para mamar e, por mais que isso seja bem cansativo para a mãe, até os 6 meses de vida do bebê, a livre demanda de amamentação é importante.

As mamadas noturnas, nesse momento, são tão importantes quanto as mamadas que o bebê faz durante o dia. Além disso, o padrão de sono do bebê é muito diferente do nosso, assim como os ciclos de sono, que são mais curtos.

Como falamos, a mamada noturna é normal até os 6 meses de vida, porém, o desmame noturno pode acontecer, naturalmente, após os 4 meses de vida. Os bebês são muito diferentes e, por isso, alguns estarão prontos para o desmame noturno primeiro.

Naturalmente, os bebes vão espaçando as mamadas e elas vão se tornando cada vez mais curtas, até chegar a hora que eles não acordam mais para mamar. Porém, isso não acontece com todos os bebês.

O que precisamos entender é que, além de nutrirem-se fisicamente amamentando, o bebê nutre-se também emocionalmente, então, a partir do momento que passa a não ter mais necessidade de ingestão calórica, mantém suas necessidades de contato, calor, vínculo, e mantém os despertares para ‘garantir’ essa nutrição. Por isso entendemos que o desmame natural acontece quando todos estes aspectos são observados, ou seja, quando a mãe percebe que os despertares estão sendo mantidos para esse contato e troca e passa a ter um olhar mais consciente para as oportunidades de troca, contato, carinho, vínculo, durante o dia, o que reflete na redução dos despertares durante a noite. 

Não existe uma idade fixa para o desmame noturno, depende muito mais dos sinais de prontidão que a criança nos dá, que tem referência com as oportunidades de contato com a mãe (quem amamenta), durante o dia, do que propriamente da idade. Quando o bebê se alimenta bem durante o dia, por exemplo, não podemos dizer que é um sinal de que, provavelmente, ele não vai se alimentar durante a noite ou vai se alimentar pouco, e também que já tem suas necessidades de vínculo também supridas durante o dia.

O desmame noturno precisa começar gradativamente, depende verdadeiramente desse olhar cuidadoso da mãe para suas necessidades físicas e emocionais que são supridas com o ato de amamentar (e se a amamentação for compulsória, sem prazer, a criança não consegue suprir suas necessidades emocionais e fica AINDA MAIS dependente desse contato, que já lhe parece tão frio, mas é entendido como a única forma de troca com a mãe…

Desmame natural Amamentação 

A partir dos dois anos de idade, o leite materno segue como complementar e ainda alimenta, muito, a criança. No desmame natural a criança, que passou por uma amamentação sem a interferência de bicos artificiais (chupeta e mamadeira) e foi alimentada sob livre demanda, opta por parar de mamar. 

Isso porque se, em uma exceção, a criança parou de mamar após os dois anos e meio de idade e seguiu usando o bico artificial, a realidade é que ela não desmamou, apenas trocou o seio materno pelos bicos.

Existem alguns sinais que podem ajudar a identificar se a criança está pronta para o desmame. Esses sinais podem ajudar a mãe a perceber quando o pequeno está pronto para parar de mamar. Veja:

  1. Quando a criança tem mais de 1 ano e já tem uma alimentação equilibrada e variada.
  2. Qual ela deixa de pedir para mamar a qualquer momento.
  3. Quando ela dorme de outras formas, sem pedir para mamar.
  4. Quando ela se distrai durante as mamadas, e quer fazer outras atividades.
  5. Quando já existe um vínculo seguro e bem estabelecido com a mãe.
  6. Quando a criança aceita tranquilamente que o ato de mamar seja reservado apenas a alguns momentos, como dormir.

Quer saber mais sobre o desmame natural? Entre em nosso blog e saiba mais sobre desmame gentil, amamentação, aleitamento materno e desmame noturno.

Desmame Natural e Desmame Gentil – Como deve ser feito

desmame-desmame-natural

Você, mãe, que já começou a pensar no desmame, mas ainda tem suas dúvidas sobre como fazer ou se ainda não tem certeza se está na hora certa de fazer o desmame fique tranquila que vamos te ajudar. Abordaremos, nesse artigo, sobre o desmame natural e o desmame gentil. Você vai aprender a descomplicar a rotina do bebê e a sua rotina para dar início ao processo de desmame. Vamos lá?

Primeiramente, é importante que você saiba que esse processo não é simples e nem uma solução de um dia para o outro. É um processo que vai além da nutrição. É um processo emocional da criança e tem que ser realizado com respeito e carinho para não se tornar uma experiência traumática entre mãe e filho.

O desmame é um assunto complicado e muitas mães passam por experiências traumáticas nesse período. A ideia desse artigo é tentar ajudar as mães com algumas informações e mostrar que nem sempre tudo é complicado com relação as crianças.

Desmame Gentil – Rotina do bebê

O desmame gentil é quando você percebe que seu filho está preparado para esse tipo de mudança de relação entre mãe e filho. É o respeito da mãe para com o filho. Respeito com o tempo da criança para processar que esse processo não é agressivo e nem vai trazer malefícios para ele.

O objetivo é acelerar o processo que aconteceria naturalmente, porém, de forma demorada. Durante o desmame gentil a criança passará a suprir suas necessidades emocionais e nutritivas com alimentos saudáveis, além de melhorar o seu relacionamento com seu entorno familiar e social.

Lembra que em outros artigos falamos sobre o apego seguro, a disciplina positiva, educação parental e a criação com apego? Pois é, o desmame gentil faz parte desse processo. Tudo isso engloba uma criação com apego. Queremos dizer que é um conglomerado de ações e percepções que vão ajudar sua criança a criar autoestima, segurança e empatia. O desmame gentil é um importante passo para que seu filho desenvolva um relacionamento não só com a mãe, não só naquele momento de amamentação. Agora é hora dele criar e cultivar um relacionamento com o seu ambiente.

Disciplina positiva, Educação parental e o Desmame

O processo conduzido de desmame, quando realizado de maneira correta, no tempo correto, é ambos para a mãe e o filho. Não coloque metas de tempo ou datas de validade para isso acontecer. Se você fizer isso, só vai aumentar sua ansiedade. A melhor forma é acompanhar os eu corpo e o comportamento do seu filho. Já ouviu falar de educadora parental? Uma educadora parental pode te ajudar com esse assunto. Não tenha vergonha de falar que não sabe o que fazer. Procure informações, pesquise, faça cursos, faça o necessário para que você e seu filho desenvolvam uma boa relação.

Quando iniciar o processo? Normalmente pode ser iniciado entre 20-30 meses. Se tudo acontece da maneira correta o seu organismo vai diminuindo a produção de leite, a criança não terá mudanças negativas no seu comportamento e você se sentirá mais tranquila. A criança vai desenvolver maneiras diferentes de dormir e vai acontecer, às vezes, uma certa insatisfação com a criança por não mamar quando quiser. É normal! Não se sinta mal. Pense que é para um bem maior.

Gostou da postagem? Entre em nosso blog e fique por dentro das notícias sobre os pequenos.

 

WhatsApp chat