Facebook 8 horas

Quais os pilares da disciplina positiva?

Educar os filhos é uma grande responsabilidade e pode ser um grande desafio para os pais. Existem várias abordagens existentes de educação. A disciplina positiva está em destaque e seus benefícios são comprovados cientificamente.

A educação positiva aposta na firmeza, com gentileza, nas relações com os filhos. Não usar de punições ou recompensas como a melhor forma de educação dos filhos nos dias atuais. A teoria do apego e a disciplina positiva são filosofias que promovem a relação saudável, e com respeito, com os filhos desde antes mesmo do nascimento.

Teoria do apego Meu bebê não dorme

O objetivo da teoria do apego e da disciplina positiva é criar adultos íntegros, saudáveis, independentes, responsáveis e felizes. A ideia é fazer com que a criança perceba seus limites e levem uma vida sem relações tóxicas e sem dependência emocional. Educar uma criança utilizando da disciplina positiva e da teoria do apego ajuda a criança a ser mais organizada emocionalmente, empática, responsável por si e como ente na sociedade.

Muitos pais têm problemas com o sono dos filhos e sabemos que o sono infantil é importante para o seu desenvolvimento. Um dos focos da teoria do apego é dar a atenção que a criança precisa e utilizar de meios que ajudem a criança a se sentir confortável e segura durante o dia, durante os desafios, para que ela se sinta amada e confortável, entregando-se ao sono em estado de segurança física e emocional.

Porque o meu bebê não dorme a noite toda? Bem, pode acontecer da criança acordar na madrugada para mamar, por exemplo, e isso é normal. Porém, a ideia é atender com tranquilidade as demandas do bebê, considerando que esse é o processo natural de desenvolvimento dele: solicitar companhia e presença, sempre! As mamadas noturnas serão diminuídas a partir do memento que não restringimos esse contato. Quanto mais presença e segurança, mais apego seguro, ou seja, menos dependência (incrível com a sociedade autoritária compartilha exatamente o contrário). Com essa entrega emocional e física, segundo a necessidade da criança, ela se desenvolve com a sensação confortável de segurança, o que promove um sono tranquilo por toda noite.

A educação tradicional não corresponde à teoria do apego, uma vez que a educação tradicional não considera importante as necessidades da criança. Na criação com apego, os pais são a figura principal do processo de ensino-aprendizado e, são eles quem detém o poder e o conhecimento e estão ali para transferir para os filhos. No modelo tradicional, o foco é a obediência, a disciplina, e não enxergamos os pais como principais nesse processo, ‘empurrando’ também a responsabilidade de educação para a escola, avós, etc.

Diferentemente da educação tradicional, na disciplina positiva, os pais são apenas mediadores que levarão a criança a construir seu próprio conhecimento em relação a si mesma e ao mundo. O foco são as necessidades da criança e a comunicação é feita de maneira diferente. A hierarquia de poder é deixada de lado, substituindo-se por uma liderança empática.

Educadora parental e disciplina positiva

Como falamos, a disciplina positiva é a ação de tomar conta em que os pais assumem responsabilidades e comportamentos para melhorar o desenvolvimento e estimular a criança, respeitando sua integridade.

O apoio dos pais aos filhos são fatores importantes e é levado em conta a importância de respondermos adequadamente às necessidades das crianças, principalmente até os 7 anos de idade, fase em que são profundamente dependentes em relação aos seus cuidadores.

Na disciplina positiva, o respeito e a consideração às emoções são a base para a aquisição de algumas das competências estruturantes da personalidade da criança, como a resiliência. É importante valorizar toas as emoções (entendendo que não há emoções positivas ou negativas, todas são respostas do campo emocional a alguma vivência e devem ser SENTIDAS, organizadas e permitidas). São os pais que regulam emocionalmente a criança, não cobrando delas uma habilidade incompatível com seu desenvolvimento neurocortical. 

A autorregulação será uma conquista através do exemplo dos pais, muito necessária para desenvolvermos relações futuras saudáveis, ou seja, para nosso relacionamento social com os pares ou o incentivo do desenvolvimento dos interesses e pontos fortes individuais (vocação).

Quer saber mais sobre teoria do apego, disciplina positiva, educadora parental e apego seguro? Entre em nosso blog.

Educação parental: O que é a Educação Positiva?

educação parental educação pisitiva apego seguro criação com apego disciplina positiva

Escolher a melhor forma de educar os filhos exige responsabilidade e pode ser um grande desafio para a família. Alguns pais adotam posturas punitivas e outros são complacentes e permissivos com relação às vontades dos filhos. Bem, a educação positiva, também conhecida como disciplina positiva, é uma forma de educar com o objetivo e foco no afeto, compreensão, respeito e aprendizado mútuo.

A educação positiva, juntamente com o apego seguro, vem se tornando formas de educar cada vez mais usada pelos pais e/ou cuidadores. A pauta é: formação integral dos filhos. A criação com apego e a disciplina positiva entendem que castigos ou chantagens não são construtivos para o desenvolvimento da criança e influenciam negativamente por toda a vida, perpetuando-se inclusive nas próximas gerações.

Quando falamos de educação parental, nos referimos ao termo “educar-se para educar”. A melhor maneira de lidar com os filhos é trabalhando você, primeiramente.

Apego seguro e educação parental

Adotando uma abordagem mais consciente, a educação parental integra teorias e conhecimentos potentes para orientar pais, responsáveis e escolas sobre como educar as crianças dentro de uma perspectiva de respeito mútuo, autoeducação, melhoria das relações familiares e soluções de questões cotidianas com base em princípios que fazem parte de uma educação positiva e respeitosa.

Aplicar a educação positiva é importante e ela contrasta com a forma comum que as pessoas normalmente se comunicam (carregado de culpa, julgamentos e violência). Ela preconiza a comunicação não violenta, que permite construir uma visão empática com o outro e com nós mesmos. Entender as nossas necessidades e limites, e expressá-los de forma assertiva e autêntica.

Dentro da criação consciente, a comunicação não violenta é utilizada para desconstruir padrões violentos de comunicação que nos foram passados desde pequenos, os quais repetimos diariamente com nossas crianças. Além disso, ela é importante para orientar os pais a trilharem seus primeiros passos numa comunicação mais empática e amorosa com seus filhos, através da observação de nossas próprias necessidades para desenvolvermos um olhar mais claro para a necessidade do outro.

A educação positiva age na esfera sócio emocional do indivíduo e gera melhorias cognitivas, melhorando o desempenho escolar, o convívio com as pessoas e fortalece o vínculo entre os filhos e demais membros da família, mantendo-os íntegros!

Caso você se identifique com esses valores, mas não sabe por onde começar, vamos dar algumas dicas a seguir.

Disciplina positiva – Aplicação da educação positiva

Primeiramente, observe suas próprias atitudes, sobre as situações cotidianas e outras questões que nos façam sentir culpa ou incapacidade. Faça-se perguntas, conteste seus próprios nãos. Desafie sua capacidade de resolução de problemas do dia a dia, estimule-se na construção de relações de respeito, a começar por nós mesmos.

Expresse suas emoções de forma clara. Entenda o porquê daquela emoção, quais necessidades suas não tem sido atendidas e responsibilize-se por isso, tirando essa responsabilidade do outro (parceirx ou filhos).

Seja um exemplo para seus filhos. Se prometer algo, cumpra. Não minta e não faça chantagens ou subornos com eles. É dando exemplo que você poderá esperar que seu filho também aja assim, pois muito do que os filhos fazem é uma reprodução do que veem os familiares fazendo. A chantagem é uma maneira de naturalizar a corrupção.

Estabeleça regras reais, que fazem sentido não só para você, mas para a família, pois a criança pode não reconhecer o real sentido do bom comportamento e só agir de maneira positiva pelo interesse satisfazer nossas necessidades para se sentir amado e visto.

Quer saber mais sobre educação parental, educação positiva, apego seguro e disciplina positiva? Entre em nosso blog.

Educação parental: O que é a parentalidade positiva?

educação parental educação positiva criação com apego apego seguro parentalidade positiva

A educação positiva é uma filosofia que preconiza o uso da não-violência na comunicação entre pais e filhos. Ela é baseada em respeito mútuo e ensina que os seus pequenos, antes de serem seus filhos, são seres humanos. O objetivo da educação positiva e da parentalidade positiva é criar seres adultos íntegros, independentes e felizes.

Em outra postagem falamos sobre a parentalidade positiva e seus benefícios, assim como a educação parental e a educação positiva.

Nessa postagem vamos aprofundar um pouco mais sobre a parentalidade positiva, apego seguro e a criação com apego. Vamos lá?

Parentalidade positiva e o apego seguro

O apego seguro tem como objetivo desenvolver crianças felizes e contribuir para que elas saibam lidar com situações adversas da vida de forma independente. O apego seguro também preconiza um olhar respeitoso, empático, carinhoso e gentil com os filhos, a fim de transmitir segurança e atender às necessidades dos pequenos.

Educar os filhos não é uma tarefa fácil, intuitiva. Temos esta expectativa, mas a realidade é muito diferente. Com todo amor por eles, nos vemos muitas vezes perdidos, desrespeitosos, irritados, lutando por poder. A criação com apego é um meio de educá-los de forma amorosa, com um olhar amplo para o adulto que essa criança se tornará, partindo de uma relação que preza a responsabilidade pessoal para que tenham, verdadeiramente, responsabilidade social. Sabemos que alguns adultos possuem certos receios em relação a criação com apego e, sobre isso, podemos observar nessa publicação.

Mas o que, realmente, pode ser passado através da criação com apego e  parentalidade positiva? Bem, de acordo com a literatura sobre criação com apego e parentalidade positiva, podemos destacar alguns pontos:

  • Orientar ao invés de brigar
  • Liderar ao invés de mandar
  • Ensinar ao invés de corrigir
  • Cuidar ao invés de exercer ‘funções’
  • Emponderar ao invés de elogiar
  • Nutrir ao invés de alimentar
  • Sensibilidade e reconhecimento das necessidades das crianças.
  • Ser consciente e não ‘consistente’.
  • Comunicação não violenta (educação positiva).
  • Promover segurança Emocional
  • Conhecer e respeitar os estágios de desenvolvimento da criança
  • Estabelecer limites, a começar reconhecendo os seus
  • Empatia com os sentimentos das crianças.

Esses são alguns pontos que podem te ajudar a fortalecer os laços emocionais com o(s) seu(s) filho(s). É a partir daí que a criança começa a vivenciar uma relação onde os adultos gerenciam seus próprios sentimentos e comportamentos. É a partir disso que a criança desenvolve a autoconfiança e a autoestima e a capacidade de também gerenciar seus sentimentos.

Esse é o apego seguro, compreende? Crianças que crescem num ambiente emocionalmente seguro, o que os fortalece para vivenciarem os desafios da vida de forma madura e respeitosa, ou seja, as crianças ‘seguramente apegadas’ têm mais chances de lidar com desafios da via e do dia a dia.

Educação positiva e apego seguro

Sabemos que atualmente, na maneira em como vivemos e na maneira que o mundo é, algumas coisas podem influenciar na sua capacidade de ser sensível e receptivo(a) ao nosso filho(a). Estamos falando de prioridades concorrentes: excesso de trabalho, tarefas do lar, desafios familiares e, principalmente, alto uso de dispositivos móveis. Tudo isso pode acabar “tirando a concentração” e atrapalhando nosso vínculo afetivo com o nosso(s) filhos(as).

Por exemplo, alguns especialistas estão preocupados com os efeitos que os ‘pais distraídos’ podem ter no vínculo emocional e no desenvolvimento da linguagem, interação social e segurança das crianças.

À medida que as crianças crescem, é importante lembrar que dar a elas o que elas precisam não significar dar a elas tudo o que querem. Elas precisam aprender a gerenciar emoções, a se comportarem em determinadas situações, pensar em uma nova tarefa ou se relacionar com amigos.

Tudo isso pode ser passado pelos pais e a educação positiva e o apego seguro tem meios que podem facilitar essa atenção básica aos pequenos.

Quer saber mais sobre educação parental, educação positiva, criação com apego, apego seguro e parentalidade positiva? Entre em nosso blog.

Educação Positiva – quais as vantagens da Disciplina Positiva

educação positiva disciplina positiva parentalidade positiva criando com apego apego seguro

Educar os filhos é uma grande responsabilidade e, às vezes, pode ser um grande desafio para os pais. Existem várias abordagens existentes de educação. Da educação severa a educação permissiva. A educação positiva e a disciplina positiva estão em destaque e seus benefícios são comprovados cientificamente.

A educação positiva aposta na firmeza, com gentileza, nas relações com os filhos. Não usar de punições ou recompensas como a melhor forma de educação dos filhos nos dias atuais. A educação positiva, a parentalidade positiva e a disciplina positiva não é um estilo de vida, tão pouco, uma moda. É uma filosofia que promove a relação entre mais e filhos com base no respeito mútuo.

Criando com apego Educação Positiva

O objetivo do apego seguro e da parentalidade positiva é criar adultos íntegros, saudáveis, independentes, responsáveis e felizes. A parentalidade positiva ajuda uma criança a perceber os limites que existem na sua vida.

O objetivo é fazer com que a criança perceba esses limites e operem a sua vida sem precisar do pai e da mãe do lado. Uma criança educada através da parentalidade positiva e do apego seguro se torna um adulto organizado emocionalmente, que tem autoestima e, consequentemente, é capaz de entender as necessidades do outro, ou seja, é empático.

A parentalidade positiva está ligada diretamente com o criando com apego (ou a criação com apego)

A educação tradicional não está ligada ao apego seguro. Nela, os pais são uma figura principal do processo de ensino-aprendizado e, são eles quem detém o poder e o conhecimento e estão ali para transferir para os filhos. Neste modelo o foco é a obediência, a disciplina.

Diferentemente da educação tradicional, na disciplina positiva, os pais são apenas mediadores que levarão a criança a construir seu próprio conhecimento em relação a si mesma e ao mundo. O foco são as necessidades da criança e a comunicação é feita de maneira diferente, desenvolvendo habilidades de vida nos filhos, através de atos assertivos e respeitosos (afinal, o maior exemplo são nossas atitudes). 

A comunicação sem culpa, sem julgamentos e de maneira gentil, o olhar respeitoso para as necessidades das crianças e o entendimento de que estão NO MOMENTO CERTO para serem vulneráveis e dependentes! Sem esse entendimento, ignoramos as necessidades hoje, o que os torna adultos dependentes e desorganizados emocionalmente, por nunca terem tido espaço e tempo para seu autodesenvolvimento. É isso que vai ‘transformar’ seus filhos em pessoas seguras e positivas: entender que são crianças e devem ser respeitadas como são.

Parentalidade positiva e disciplina positiva

Como falamos, a parentalidade positiva é a ação de tomar conta em que os pais assumam responsabilidades e que transformem seus próprios comportamentos para melhorar o relacionamento com seus filhos  e estimular a criança, respeitando sua integridade.

O apoio dos pais para com seus filhos são fatores importantes a serem considerados e as necessidades das crianças em uma das suas fases de desenvolvimento, principalmente até os 7 anos de idade, é de profunda dependência com relação aos seus cuidadores.

Tudo isso contribui para a construção de uma personalidade positiva e para o desenvolvimento do seu potencial, segurança e bem-estar.

Quer saber mais sobre educação positiva, disciplina positiva, parentalidade positiva e apego seguro? Entre em nosso blog.

Criação com apego e seus impactos – Tipos de apego seguro

criação com apego apego seguro educação parental educação positiva disciplina positiva

O conceito da Teoria do Apego surgiu a partir do estudo do vínculo desenvolvido por recém-nascidos com suas mães e outros cuidadores. Ela se estabeleceu através da necessidade de procurar entender melhor como os vínculos entre mãe e filho eram desenvolvidos. O apego seguro significa um vínculo afetivo ou a ligação entre um indivíduo e uma figura de apego (pais e/ou cuidadores).

Assim como a criação com apego, a educação positiva ajuda os pais a despertarem uma visão e um comportamento empático com os filhos. O objetivo é identificar a necessidade dos pequenos e tentar se comunicar por trás desse comportamento.

Já falamos em outras publicações que a criação com o apego não é a solução para todos os problemas, mas é um caminho de consciência que nos permite sermos mais assertivos com nossos filhos,  e que nos mostra que não devemos esperar que os pequenos se manifestem com relação ao nosso bem-estar, mas que somos nós quem proporciona o bem-estar deles. Isso faz com que a criança desenvolva maior responsabilidade pessoal, que se manifestará pelo resto da sua vida em responsabilidade social.

Tipos de apego seguro, criação com apego e os adultos

As pessoas com apego seguro tendem a ter opiniões positivas sobre si mesmas e sobre seus parceiros. Consequentemente elas tendem a ter opiniões positivas sobre seus relacionamentos.

Essas pessoas relatam maior satisfação em relação a si mesmas e, consequentemente harmonia em seus relacionamentos do que pessoas com outros estilos de apego. Elas se sentem seguramente confortáveis tanto com a intimidade quanto com a independência. Este é o resultado da vivência do apego seguro na infância.

Temos, também, o apego evitante, ambivalente e desorganizado e cada um mostra o nível de independência das pessoas, de comprometimento com relacionamentos, intimidade e dedicação com seus parceiros. Tudo isso acaba refletindo na criação com apego também de seus pequenos.

Pessoas com um estilo de apego evitante desejam um alto nível de independência. Elas, frequentemente, tentam evitar completamente a intimidade. Veem a si mesmos como autossuficientes e invulneráveis a sentimentos associados com estarem intimamente ligados a outros. Normalmente negam necessitar de relações íntimas.

No apego ambivalente, as pessoas buscam por altos níveis de intimidade, aprovação e receptividade de seus parceiros. Elas valorizam a intimidade a tal ponto que se tornam excessivamente dependentes de seus parceiros. Normalmente duvidam de seu valor como parceiros e culpam-se pela falta de receptividade de seus parceiros.

Pessoas com apego desorganizado têm sentimentos mistos sobre relacionamentos íntimos. Ao mesmo tempo que desejam ter relações emocionalmente íntimas, tendem a se sentir desconfortáveis com a intimidade emocional. São sentimentos confusos e combinados que, às vezes, inconscientemente, gera pensamentos e opiniões negativas sobre si mesmas e seus parceiros.

Cada um desses estilos de apego afetam no tipo de apego que as pessoas demonstram aos seus filhos. E existem muitos fatores que podem influenciar nossa adaptação ao vínculo com eles.

Educação parental Educação positiva

Sabemos que um bebê é incapaz de cuidar de si mesmo. Ele depende dos pais para conseguir alimento, contato, carinho, segurança, dormir e aprender sobre si mesmos e sobre o mundo. Pessoas com estilos de apego diferentes demonstrem isso de maneiras diferentes. 

A educação parental tem uma grande contribuição para os pais e para os filhos. Integra teorias e conhecimentos para orientação dos pais, responsáveis e escolas sobre como acompanhar e promover o desenvolvimento saudável das crianças dentro de uma perspectiva que envolve a autonomia, melhoria da relação familiar e ajuda no desenvolvimento pessoal de ambos.

Da mesma maneira, acontece com a educação positiva. A educação positiva é uma das ferramentas mais poderosas nesse meio. Se trata da comunicação não violenta, em aprender a se comunicar sem culpar, sem julgar e de maneira gentil, conectando pessoas e fortalecendo relações.

Todos esses fatores influenciam na possível mudança com que os pais podem ter com o seu tipo de apego. Permite-nos conscientizar do nosso comportamento e da nossa dificuldade em lidar com nossos filhos. Ter esta consciência faz-se crucial para criar um vínculo importante com nossos filhos.

Quer saber mais sobre a criação com apego, apego seguro, educação parental e a disciplina positiva? Entre em nosso blog.

Inscrições Abertas

Vagas abertas para o curso de
Certificação em consultoria do sono