Facebook 8 horas

Como saber se a criança tem distúrbio do sono?

disturbio do sono

O sono do bebê pode ser motivo de dor de cabeça e frustração para muitas mães. O comportamento do sono é um reflexo do dia da criança e muitas mães não sabem como fazer o filho pegar no sono e acabam comprometendo a qualidade de vida e a saúde de toda a família.

O estresse pode fazer com que você não tenha uma boa noite de sono ou um sono leve e pouco relaxamento. Sabemos que o sono saudável contribui diretamente com a melhoria na saúde e qualidade de vida tanto dos pais quanto do bebê e a privação do sono é capaz de fazer com que o nosso organismo deixe de desempenhar funções essenciais ao seu bom funcionamento, tais como o fortalecimento do sistema imunológico, a consolidação da memória e a regeneração das células.

Bebê com sono, mas não dorme? Bem, às vezes as crianças tiveram um dia estressante e não percebemos e nem imaginamos que isso aconteceu. Esse estresse interfere diretamente no sono do bebê.

Vamos falar um pouco mais sobre o sono infantil, o distúrbio do sono e o papel que um educador parental pode exercer para ajudar nesse aspecto.

Educador parental – Sono do bebê

Uma boa noite de sono influencia no humor e realização das nossas tarefas do dia a dia, sendo uma necessidade básica dos seres humanos e essencial ao nosso bem-estar, felicidade e boa disposição.

Mas, se o sono de é fundamental à saúde e qualidade de vida, por que o meu bebê não consegue dormir à noite?

É difícil esperar o ritmo dos pequenos com relação ao sono e isso pode gerar uma certa angústia. Reclamar que o bebê apresenta sinais de sono, mas não dorme, é comum entre os pais de primeira viagem. Na verdade, o grande desafio é entendermos qual o real comportamento de sono de um bebê e se nossas expectativas são REAIS. Na verdade, o maior desafio é nos acostumarmos com o novo ritmo, com o nosso novo relacionamento (mãe e filho, a cada filho, um novo relacionamento), com a nossa nova realidade! Devemos entender o  sono infantil, o que esperar, como promover um ambiente adequado aos nossos filhos e então, mãe e filho terem uma boa rotina de sono.

Distúrbio do sono infantil

É muito difícil um bebê apresentar algum distúrbio do sono, uma vez que o sono é fisiológico, como a alimentação, a respiração… mais fácil é olharmos para o mau comportamento de sono como uma comunicação: um chamado para o relacionamento com eles, por mais contato, por mais trocas emocionais. As crianças precisam se sentir vistas, seguras, para que o sono flua: que vem de um momento de entrega, de sair do momento presente! E para nos permitirmos entrar nesse relacionamento, precisamos silenciar o mundo externo, nos permitir estar em conato com a infância, com a vulnerabilidade e dependência dos nossos filhos, com a quietude, com o pouco movimento e muita observação.

Ainda, sobre a busca de algum distúrbio do sono, quando o desafio das famílias é grande: existem sim, alguns distúrbios do sono, como, por exemplo, a síndrome das pernas inquietas e a apneia do sono infantil, e sim: estas síndromes devem ser tratadas com especialistas, de forma adequada. Verificar se está tudo em ordem com a saúde é primordial nestes casos.

Podemos sim, saber o que NÃO fazer para atrapalhar o sono da criança: saiamos da necessidade de construir rotinas para o bebe (super MITO), uma vez que quanto mais focamos em rotina, menos observamos o ritmo dos nossos filhos.

É muito importante implementar uma sequência de atividades para o dia a dia da criança para que ela se sinta segura e tranquila: banho, brincar, estar com os pais… na hora do almoço estou mamando, na hora eu meu pai chega estou jantando… coisas do tipo. A criança se cadencia por fatos externos, e isso sim, é importante garantir: uma sequência que os localize no tempo, que os permitam ter previsibilidade.

Quer saber mais sobre sono infantil, sono do bebê, educador parental e distúrbio do sono? Entre em nosso blog.

Criação com Apego e a Teoria do Apego

criação com apego teoria do apego educação positiva criando com apego sono infantil

A criação com apego surgiu a partir de um estudo de vínculo desenvolvido por recém-nascidos com suas mães e cuidadores. A criação com apego valoriza a criação de vínculos fortes entre pais e filhos e existem dois pilares principais: contato olho a olho e troca emocional, que são facilitados  através da amamentação, com o bebê bem grudado em você e através da cama compartilhada (contato com a mãe durante o sono).

A criação com apego e a educação positiva ajuda os pais a despertarem uma visão e um comportamento empático com os filhos. O objetivo é identificar a necessidade dos pequenos e tentar se comunicar por trás desse comportamento.

O apego seguro é muito importante para a qualidade da relação afetiva entre pais e filhos. Além de fortalecer a relação, protege a saúde mental dos pequenos. A teoria do apego é voltada para os pequenos e nas suas necessidades vitais. Uma vez que sabemos identificar suas necessidades, evitamos que entrem em estado de alerta, permitindo que sejam cada vez mais espontâneos e emocionalmente saudáveis, o que impacta positivamente nos comportamentos, alimentação e sono (que comumente são os principais desafios das famílias).

 

Teoria do apego – Criação com apego

O objetivo da criação com apego é garantir a segurança física, psíquica e emocional da criança. Além disso, quando estamos criando com apego, garantimos as necessidades básicas da criança e isso se dá pela proximidade, proteção, previsibilidade e diversão.

Idealizada nos anos de 1950, a criação com apego destaca a necessidade de segurança no começo da vida, e isso significa as crianças estarem perto dos pais/cuidadores. A proximidade com os pais ou cuidadores é o ponto de partida para que a criança desenvolva uma ligação segura com adultos. 

Essa proximidade é especialmente importante nos primeiros anos de vida. Sabemos que um bebê é incapaz de cuidar de si mesmo. Ele depende dos pais para conseguir alimento, saciar-se da necessidade de contato, carinho, dormir e aprender sobre o mundo e suas relações. Essa relação entre pais e filhos é o principal campo de estudo da teoria do apego. Entendermos que o mundo da criança se resume aos pais (principalmente à figura maternal) e que tudo o que vivenciarem neste contexto, reflete em sua maneira como se relaciona com o mundo.

A proximidade física é o ponto de partida para que a criança se desenvolva, mas é mantido e garantido com a proximidade emocional: tempo de qualidade, troca, assistência empática, respeito às necessidades do bebê, entendendo e respondendo prontamente à sua dependência física e emocional. Esse tipo de atitude pode facilitar, inclusive, o sono infantil, e isso é explicado por que, ao responder atentamente às demandas do filho, a mãe o prepara para desenvolver o controle das próprias ações.

 

Sono infantil Criando com apego

Sabe-se que os padrões de sono dos bebês são diferentes dos padrões dos adultos. Cuidar de um bebê demanda tempo, paciência e esses cuidados podem influenciar diretamente no sono do bebê.

A criação com apego possui princípios que não se trata de regras, mas orientações. E essas orientações podem influenciar diretamente no sono infantil. Uma das garantias da relação de apego seguro é a segurança, física e emocional. Nos primeiros meses, valoriza-se a amamentação ( se a mãe não puder amamentar, que seja a única a alimentar, mantendo assim essa relação próxima e importante), aconselha-se  que o bebê durma próximo à mãe, que não tenha muitos cuidadores (que a mãe busque apoio a todas as outras demandas, de maneira que tenha disponibilidade física e emocional ao bebê. Isso vai garantir um sono mais tranquilo e seguro para o bebê e para a mãe! É um método praticado em várias culturas e é vista como um benefício para a família.

Outro ponto que pode influenciar no sono do bebê é a prática da educação positiva que prega o tratamento do bebê do mesmo jeito que você gostaria de ser tratado. A empatia é a palavra-chave nesse princípio.

Quer saber mais sobre criação com apego, teoria do apego, educação positiva e sono infantil? Entre em nosso blog.

Educação positiva – Como transformar a relação com seu filho

disciplina positiva criando com apego educação positiva parentalidade positiva sono infantil

Todos sabemos que educar um filho é uma grande responsabilidade e um grande desafio para os pais. Dentre as abordagens de educação, vamos falar da disciplina positiva e da educação positiva.

Sabe se que criando com apego, utilizando também a disciplina positiva, apostamos na firmeza, gentileza, respeito e amor para com os pequenos. E assim você ajuda no desenvolvimento da criança para que se tornem seres mais independentes promovendo uma relação com os pais com base em respeito mútuo.

Nessa publicação vamos falar sobre como transformar a relação com o seu filho através do apego seguro, parentalidade positiva e educação positiva.

Sono InfantilCriando com apego

Um dos pontos que podem melhorar a relação dos pais com os filhos, criando com apego, é com relação ao sono infantil. O sono infantil não é tão complexo de entender e a educação positiva e o apego seguro possuem ferramentas para ajudar a compreender o seu funcionamento.

A criação com apego zela pela autoestima, carinho, empatia e ajuda a desenvolver a autonomia da criança, além de transmitir segurança e independência. 

O sono infantil é um reflexo do dia e o estresse pode atrapalhar o sono do bebê. As crianças se estressam bastante, principalmente por elas ainda não saberem lidar com certos tipos de sentimentos: com suas necessidades básicas não atendidas (muitas vezes são respondidas, mãs os pais não são assertivos, não entendem exatamente o que o bebê precisa). Mas estas necessidades compreendem fome, frio, calor, necessidade de contato, de troca emocional… Às vezes as crianças estão estressadas e nem imaginamos que isso está acontecendo ou pode acontecer.

Como falamos em outra publicação, é de extrema importância saber que o ciclo de sono do bebê recebe influências biológicas, ambientais e sociais. Conhecer as peculiaridades de cada fase norteia as expectativas dos pais, permitindo fazer ajustes de hábitos. A evolução da rotina do sono é um processo que exige mais tempo do que treinamento.

Quer saber mais sobre o sono infantil e criação com apego? Veja nesse link.

Disciplina positiva – benefícios

O principal objetivo da parentalidade positiva é fazer com que a criança perceba seus limites,  através do respeito que seus pais têm por seus limites infantis. Uma criança educada através da parentalidade positiva e do apego seguro se torna um adulto organizado emocionalmente, com autoestima e, consequentemente, capaz de entender as necessidades dos outros. Ele se torna um ser humano mais empático. Na verdade, devolve para o mundo aquilo que recebeu.

Como falamos, o respeito, empatia, gentileza, autonomia e limites são pontos que a parentalidade positiva promove. E o primeiro passo para seguir esse tipo de ensinamento é desconstruir a maneira como você foi educado na sua infância.

A disciplina positiva está cada vez mais em uso e ela ajuda os pais e familiares a recorrer a estratégias e desconstruir crenças para lidarem com suas crianças e adolescentes.

Com a mudança na maneira de educar os pais se veem mais aptos a agir de forma diferente, principalmente com o suporte da criação com apego, que ajuda no desenvolvimento do autoconhecimento e incentiva a propagação do amor verdadeiro dentro das famílias.

Quer saber mais sobre disciplina positiva, criando com apego, parentalidade positiva e sono infantil? Veja em nosso blog.

Como aplicar a disciplina positiva – Educação Parental

disciplina positiva parentalidade positiva criando com apego educação parental sono infantil

Escolher a melhor forma de educar os filhos exige responsabilidade e pode ser um grande desafio para a família. De um lado, uma postura mais severa e punitiva e, do outro, a mais complacente e permissiva em relação às vontades e atitudes dos filhos. Com base nessas duas “vertentes” educacionais, viemos falar mais sobre a disciplina positiva e a parentalidade positiva.

A parentalidade positiva não tende aos extremos. A disciplina positiva é uma forma de educar que busca equilíbrio, estabelecendo limites firmes e, ao mesmo tempo, incentivando a liberdade e a autonomia da criança.

A educação parental positiva é tão importante quanto a teoria do “criando com apego” e as consequências são benéficas para a formação dos filhos e vamos falar disso nessa publicação.

 

Parentalidade positiva Educação Parental

A parentalidade positiva na educação parental é uma forma de educar em que várias pessoas já estão ficando adeptas. Isso se dá pela preocupação pela formação integral dos filhos. O objetivo da educação positiva é educar com foco no afeto, compreensão, respeito mútuo e aprendizado mútuo.

A educação positiva tem como princípio uma educação mais gentil e firme com os filhos. Ela ajuda as crianças a se comunicar além dos comportamentos desafiadores e ensina-lhes autodisciplina, responsabilidade, cooperação e habilidades de resolução de problemas, uma vez que todo o entorno age desta forma.

Ela consiste em não ser permissivo, nem rígido. Ensina a ser gentil e firme ao mesmo tempo. Acabar com a rigidez e a punição em um lar não consiste em deixar o filho fazer o que quiser, mas sim em fortalecer a responsabilidade pessoal, que tem reflexos na responsabilidade social. De acordo com a disciplina positiva, quando as crianças se sentem vistas, respeitadas, elas se sentem mais fortalecidas: os laços com os pais, crescem e seu comportamento perante o mundo, é responsável e ético.

Existem quatro critérios para uma disciplina positiva efetiva:

  1. Seja respeitoso com seu filhos: trate-o como trataria seu melhor amigo.
  2. Ajude as crianças a desenvolverem um senso de aceitação e de importância, se sentindo aceito e importante.
  3. Entenda que a relação baseada no respeito é efetiva a longo prazo, ao contrário da punição, por exemplo, que funciona a curto prazo.
  4. Ensine habilidades de vida valiosas na formação de um bom caráter, como respeito, preocupação com os outros, resolução de problemas, responsabilidade, contribuição e cooperação.

Não podemos esquecer que crianças são crianças. Portanto, pensam como crianças e seus cérebros estão em desenvolvimento. Precisam muito do apoio dos adultos no ajustamento do seu comportamento e regulação das emoções, e não serem criticadas. Serem vistas como crianças que são. Tudo isso, emparelhado com a criação com apego, ajuda a criança a ter independência e tomar suas próprias decisões. No início da vida, isso pode ajudar muito no sono infantil e no comportamento perante a introdução alimentar, alimentação, desfralde, etc.

 

Disciplina positiva, parentalidade positiva – Bem estar e sono infantil

Um dos pontos principais para trabalhar com a disciplina positiva no dia a dia é saber como aplicá-la assertivamente, desde os primeiros anos de vida. 

A ideia central é conectar a criança com sua família, comunidade e escola, pois ao fazer isso a tendência é que a criança apresente menos comportamentos inadequados. Os pais devem substituir os métodos punitivos, como broncas, gritos e castigos, e os de oferta de recompensas, em que o filho é recompensado com algo para que faça o que lhe foi solicitado por um olhar atento ao que comunicam através de seu comportamento, entendendo a melhor maneira de responder as necessidades dos nosso filhos com assertividade.

Ao contrário do que muitos pais pensam, o punir ou ofertar recompensar não cria adultos bem-sucedidos. Punir gera rancor e a recompensa pode gerar um ciclo vicioso, no qual a criança não se comporta ou não percebe seu valor, porque compreende e aprende que ao se comportar vai ganhar algo em troca.

Quer saber mais sobre a disciplina positiva, parentalidade positiva, sono infantil e educação parental? Entre em nosso blog.

Criação com apego – entenda a teoria do apego

criação com apego teoria do apego educação positiva criando com apego sono infantil

Você já deve ter escutado a expressão “criação com apego” ou “criando com apego” e “teoria do apego”. Isso se trata de algumas técnicas que valorizam a criação de vínculos fortes entre pais e filhos.

Alguns defensores da criação com apego reforçam três pilares principais: amamentação, bebê bem grudado em você e cama compartilhada entre pais e filhos. A ideia principal é que os pais mantenham esses hábitos até que as crianças cresçam e elas mesmas decidam que não querem mais.

Mas na verdade, a criação com apego é uma filosofia e ciência bem mais ampla. Ela não se resume apenas nesses três pilares. Criando com apego não significa que você tem que amamentar por muitos anos, ou dividir a cama com a criança já crescida.

A ideia desse tipo de criação é garantir a segurança emocional da criança e, para isso, a teoria do apego defende que a criança deve ter suas necessidades básicas atendidas prontamente, com empatia, respeito, dedicação e paciência. Inclusive baseia estas afirmações com inúmeros estudos neurocientíficos, que comprovam o desenvolvimento harmônico e organizado de um cérebro que vivencia relações de respeito e amorosidade.

Criação com apegoEducação Positiva

A criação com apego tem o objetivo de garantir a segurança física, psíquica e emocional da criança, como falamos anteriormente. Além disso, garantir suas necessidades básicas, que se resumem em: proximidade, proteção, previsibilidade e diversão.

A teoria do apego foi idealizada nos anos de 1950 e destaca que os bebês têm uma forte necessidade de segurança no começo da vida (necessidade esta que, não correspondida, transforma todo o curso de sua vida psíquica e emocional) e que isso significa estar perto de quem cuida deles.

A proximidade com os pais ou cuidadores, é o ponto de partida para que a criança desenvolva uma ligação segura com adultos, de acordo com o movimento de “criação com apego”. Essa proximidade física é especialmente importante nos primeiros anos de vida. Manter o bebê perto faz com que a pessoa que cuida dele, geralmente a mãe, seja capaz de responder prontamente às suas necessidades.

Esse tipo de atitude pode facilitar INCLUSIVE o sono infantil , e isso é explicado porque, ao responder atentamente às demandas do filho, a mãe o prepara para desenvolver o controle das próprias ações. Ao desenvolver esse controle e a segurança, o bebê se sente mais seguro para dormir e amamentar, por exemplo.

Quando a criança nasce pode ser difícil saber do que ele está precisando em determinados momentos. Mas existem algumas maneiras de atender às necessidades dele se você quiser seguir com a criação com apego:

  • É essencial amamentar por livre demanda, ou seja, dar de mamar sempre que o bebê quiser. Além de se sentir alimentado, o bebê se sente aconchegado pelo cheiro e calor da pele materna. Entender que vai além do alimento!
  • Se o bebê toma leite na mamadeira, a mãe pode segurá-lo próximo, olhar nos olhos dele e prestar atenção aos sinais de que mamou o suficiente, evitando que outros cuidadores o alimentem. Ter um cuidador principal, como ocorre no seio, faz-se imprescindível.
  • Colocar o bebê em um carregador do tipo mochila ou sling, considerando que precisam de contato não só quando choram.
  • Dormir no mesmo quarto que o bebê (ou na mesma cama), para atendê-lo rapidamente à noite.
  • Conversar com o bebê e interagir quando ele estiver desperto.
  • Tratar o choro da criança – e as birras, conforme vai crescendo – como a maneira que ela tem para se comunicar. Quando o bebê está chorando, significa que ele está pedindo ajuda ou orientação e conforto quando tem um acesso de raiva.

Sono InfantilEducação Positiva e Apego Seguro

Através dessas experiências, a criança se sentirá mais confortável para dormir (ponto positivo para o sono infantil) e, levando a criação da criança dessa maneira você poderá, logo, utilizar da educação positiva.

A educação positiva é um tipo de educação baseada na positividade. Sem punições e sem recompensas. É uma forma de educar a criança preocupando com sua formação integral. Com foco em afeto, compreensão, respeito mútuo e aprendizado mútuo.Quer saber mais sobre a educação positiva, sono infantil, apego seguro e a teoria do apego? Acesse nosso blog.