Facebook 8 horas

disturbio do sono

O sono do bebê pode ser motivo de dor de cabeça e frustração para muitas mães. O comportamento do sono é um reflexo do dia da criança e muitas mães não sabem como fazer o filho pegar no sono e acabam comprometendo a qualidade de vida e a saúde de toda a família.

O estresse pode fazer com que você não tenha uma boa noite de sono ou um sono leve e pouco relaxamento. Sabemos que o sono saudável contribui diretamente com a melhoria na saúde e qualidade de vida tanto dos pais quanto do bebê e a privação do sono é capaz de fazer com que o nosso organismo deixe de desempenhar funções essenciais ao seu bom funcionamento, tais como o fortalecimento do sistema imunológico, a consolidação da memória e a regeneração das células.

Bebê com sono, mas não dorme? Bem, às vezes as crianças tiveram um dia estressante e não percebemos e nem imaginamos que isso aconteceu. Esse estresse interfere diretamente no sono do bebê.

Vamos falar um pouco mais sobre o sono infantil, o distúrbio do sono e o papel que um educador parental pode exercer para ajudar nesse aspecto.

Educador parental – Sono do bebê

Uma boa noite de sono influencia no humor e realização das nossas tarefas do dia a dia, sendo uma necessidade básica dos seres humanos e essencial ao nosso bem-estar, felicidade e boa disposição.

Mas, se o sono de é fundamental à saúde e qualidade de vida, por que o meu bebê não consegue dormir à noite?

É difícil esperar o ritmo dos pequenos com relação ao sono e isso pode gerar uma certa angústia. Reclamar que o bebê apresenta sinais de sono, mas não dorme, é comum entre os pais de primeira viagem. Na verdade, o grande desafio é entendermos qual o real comportamento de sono de um bebê e se nossas expectativas são REAIS. Na verdade, o maior desafio é nos acostumarmos com o novo ritmo, com o nosso novo relacionamento (mãe e filho, a cada filho, um novo relacionamento), com a nossa nova realidade! Devemos entender o  sono infantil, o que esperar, como promover um ambiente adequado aos nossos filhos e então, mãe e filho terem uma boa rotina de sono.

Distúrbio do sono infantil

É muito difícil um bebê apresentar algum distúrbio do sono, uma vez que o sono é fisiológico, como a alimentação, a respiração… mais fácil é olharmos para o mau comportamento de sono como uma comunicação: um chamado para o relacionamento com eles, por mais contato, por mais trocas emocionais. As crianças precisam se sentir vistas, seguras, para que o sono flua: que vem de um momento de entrega, de sair do momento presente! E para nos permitirmos entrar nesse relacionamento, precisamos silenciar o mundo externo, nos permitir estar em conato com a infância, com a vulnerabilidade e dependência dos nossos filhos, com a quietude, com o pouco movimento e muita observação.

Ainda, sobre a busca de algum distúrbio do sono, quando o desafio das famílias é grande: existem sim, alguns distúrbios do sono, como, por exemplo, a síndrome das pernas inquietas e a apneia do sono infantil, e sim: estas síndromes devem ser tratadas com especialistas, de forma adequada. Verificar se está tudo em ordem com a saúde é primordial nestes casos.

Podemos sim, saber o que NÃO fazer para atrapalhar o sono da criança: saiamos da necessidade de construir rotinas para o bebe (super MITO), uma vez que quanto mais focamos em rotina, menos observamos o ritmo dos nossos filhos.

É muito importante implementar uma sequência de atividades para o dia a dia da criança para que ela se sinta segura e tranquila: banho, brincar, estar com os pais… na hora do almoço estou mamando, na hora eu meu pai chega estou jantando… coisas do tipo. A criança se cadencia por fatos externos, e isso sim, é importante garantir: uma sequência que os localize no tempo, que os permitam ter previsibilidade.

Quer saber mais sobre sono infantil, sono do bebê, educador parental e distúrbio do sono? Entre em nosso blog.