Maternidade real e disciplina positiva

E você? Vive uma maternidade intuitiva ou estuda para ser pai e mãe? Se respondeu sim às duas perguntas, você está praticando o que chamamos de maternidade real.

No mundo atual, as novas gerações têm hábitos completamente diferentes, impactadas pela tecnologia e globalização. Dessa forma, a maternidade teve que ser sim estudada e hoje vemos pais e mães cada vez mais procurando informação e conhecimento para entender os filhos e educar da melhor forma possível, sem dependência emocional, mas com vínculo e afeto, um tema em evidência na disciplina positiva.

A maternidade real mostra como as famílias estão se movimentando para criar filhos emocionalmente saudáveis e podemos ver muitas pecando neste assunto.

A criança, quando nasce, está envolvida com sua mãe em um só campo emocional, formando o seu corpo emocional nos primeiros dois anos de vida, principalmente. Ou seja, todas as vivências que a mãe vai ter até o segundo ano da criança, o que ela sente, pensa e age de alguma maneira a criança vai sentir, ela percebe o que está acontecendo com a mãe e com o sistema familiar e responde com a mesma intensidade. Isto é maternidade real.

A disciplina positiva baseia-se no conceito de que disciplina pode ser ensinada com firmeza e gentileza ao mesmo tempo, sem punição, castigo ou recompensa. Esta filosofia apresenta o caminho do meio entre o autoritarismo e a permissividade, resultando em mais de 50 ferramentas para ajudar a desenvolver habilidades para construir relacionamentos mais saudáveis e sem dependência emocional.

Mitos e verdades da cama compartilhada

Mas e a cama compartilhada nisso tudo? Bom, um terço do dia praticamente passamos dormindo e se você tem dúvidas de como fazer bebê dormir, podemos dizer que todo a outra parte do dia ou você está cansada ou angustiada esperando por uma boa noite de sono. O sono do bebê vai ser impactado pela qualidade do dia que ele teve. Se os pais deram atenção, olhando para ele com interesse e se comunicaram através de olhares, toques e afeto de verdade.

A cama compartilhada retrata a necessidade dos pais por não terem tido momentos com os filhos e vice-versa. O sono do bebê pode ser bem mais tranquilo e confortável ao lado dos pais que ele tanto se gosta e se sente seguro.

A cama compartilhada diz muito sobre como fazer bebê dormir, mas não tem certo ou errado, tem regras de segurança, para que nada de sério aconteça e prejudique a saúde ou a vida dos bebês. O assunto é polêmico e cada especialista da área defende uma tese, mas muito se fala sobre morte súbita de bebês e para isso é preciso atentar-se a segurança da família ao compartilhar a cama.

WhatsApp chat