Tipos de apego – Apego seguro e Parentalidade Positiva

tipos de apego parentalidade positiva apego seguro educação positiva educação parental

A teoria do apego e os tipos de apego surgiram a partir de estudos do vínculo que os pais desenvolvem com recém-nascidos. É um estudo que abrange os campos das teorias psicológica, evolutiva e etológica. Pode-se observar que dentro dessa teoria temas como apego seguro, educação positiva e educação parental também são abordados.

O apego seguro é um tipo de apego da teoria do apego, que é um modelo psicológico que tenta descrever a dinâmica das relações interpessoais de longo e curto prazo da relação pais-filhos e sua influência no desenvolvimento dos filhos.

A criação com apego começa antes mesmo da criança nascer e se estende para os laços entre adultos e, nessa postagem, vamos falar dos tipos de apego e sua relação com a parentalidade positiva, educação positiva e a educação parental.

Apego Seguro Tipos de Apego

O apego significa um vínculo afetivo ou ligação entre um indivíduo e uma figura de apego (pais e/ou cuidadores). Os laços podem ser recíprocos entre os dois indivíduos adultos, mas entre uma criança e um cuidados, são baseados nas necessidades de segurança e proteção.

A segurança e a proteção são fatores fundamentais na infância e a teoria do apego propõe que crianças se apegam instintivamente a quem cuide delas, com a finalidade de sobreviver e desenvolver tanto o físico, social e o emocional.

Dentro da teoria do apego tem um campo muito importante que é a parentalidade positiva. Ela é dada como a ação de ‘tomar conta’, em que ambos os progenitores, ou o pai ou a mãe, assumem responsabilidades e comportamentos para otimizar o crescimento e estimular o desenvolvimento da criança.

Dentro dessa vertente, é importante destacar que a integridade da criança deve ser respeitada, pois ela é um ser único e independente. A ideia é criar vínculo com os filhos de forma a gerar confiança, segurança e um relacionamento mais prazeroso entre as partes.

A educação positiva é uma prática do apego seguro que transforma o momento de pais e/ou cuidadores em momentos de dedicação completa, com respeito e carinho. O problema de uma criança dormir mal pode estar relacionado à falta de apego, por exemplo. Pode estar relacionada com o contato, o afeto, também.

Educação positiva Tipos de Apego

Existem padrões de vinculo que os adultos criam com outros adultos e esses padrões costumam ser categorizados em quatro principais tipos de apego: apego seguro, apego evitante, apego ambivalente e apego desorganizado.

  1. Apego Seguro

Pessoas com esse tipo de apego tendem a ter opiniões positivas sobre si mesmas e sobre seus parceiros e seus relacionamentos. Muitas vezes elas relatam maior satisfação e harmonia em seus relacionamentos do que pessoas com outros estilos de apego.

      2. Apego Evitante

Quem tem este estilo de apego deseja um alto nível de independência. Esse desejo, frequentemente, aparece como uma tentativa de evitar completamente o apego. Eles se sentem autossuficientes e invulneráveis a sentimentos associados com estarem intimamente ligados a outros.

      3. Apego Ambivalente

Nessa modalidade as pessoas buscam por altos níveis de intimidade, aprovação, e receptividade de seus parceiros, frente a um comportamento inconstante dos pais, de afastamento e aproximação. 

      4. Apego Desorganizado

Indivíduos com esse apego têm sentimentos mistos sobre relacionamentos íntimos. Por um lado, desejam ter relações emocionalmente íntimas. Por outro lado, tendem a se sentir desconfortáveis com a intimidade emocional. 

Quer saber mais sobre os tipos de apego? Entre em nosso blog e veja também sobre o apego seguro, educação positiva, parentalidade positiva e educação parental.

Educação positiva – Como funciona a disciplina positiva?

disciplina positiva educação parental apego seguro parentalidade positiva

Escolher a melhor forma de educar os filhos exige uma responsabilidade e pode ser um grande desafio para os pais. Dentre as abordagens existentes (de severo a permissivo), a educação positiva e a disciplina positiva estão hoje em destaque porque a ciência já comprova seus benefícios e como a sociedade como um todo se beneficia desse novo olhar para as crianças, numa relação onde não existem atitudes punitivas e nem permissivas.

A educação positiva é uma filosofia que aposta na firmeza com gentileza nas relações com os filhos. Não utiliza de punições ou recompensas como a melhor forma de formação dos filhos nos dias atuais.

A disciplina positiva  e o apego seguro se baseiam também em uma comunicação não violenta. É criar proximidade entre pais e filhos, com amor, na sua forma pura e simples, contribuindo para o desenvolvimento cognitivo e intelectual da criança. Isso também pode ser chamado de parentalidade positiva, onde o objetivo é educar as crianças com base na educação positiva e apego seguro.

Apego Seguro Parentalidade positiva

A parentalidade positiva se baseia em criar adultos íntegros, saudáveis e felizes. É a criação das crianças de maneira íntegra, dentro dos limites que existem na sua vida, de forma não violenta e com apego seguro.

A ideia da parentalidade positiva é ensinar com base no respeito, empatia, gentileza, promovendo autonomia, estabelecendo limites. O primeiro passo para conseguir engajar nesse tipo de ensinamento é desconstruir a maneira como você foi educado na sua infância.

Bem, o ponto principal da educação positiva com apego seguro é criar crianças mais felizes, contribuindo para a construção de um mundo melhor para todos nós, uma vez que essa criança virá a ser um cidadão feliz. 

Mas como aplicar a educação positiva? Bem, se você tem algumas dúvidas sobre o assunto, pode consultar um educador parental para te ajudar. A vem se tornando cada vez mais normal. É uma ajuda para pais e familiares podem recorrer para adquirir estratégias e ferramentas para lidarem com suas crianças e adolescentes.

A educação parental ensina, através de workshops, palestras e, até atendimentos a domicílio, sobre problemas que crianças e adolescentes podem apresentar e como resolvê-los. A começar pela extinção da violência verbal, as punições, entre outras atitudes violentas.

Educação parental Parentalidade positiva e apego seguro

Como falamos, a parentalidade positiva, o apego seguro, a educação positiva e a educação parental nos levam para o mesmo caminho. A diferença é que na educação parental, o objetivo é lidar com os adultos, pais e/ou cuidadores, tirando o foco da criança e do comportamento da criança, que é só um reflexo da relação entre eles e os pais.

O objetivo principal é utilizar essas filosofias como ferramentas de ajuda para melhorar a qualidade nas relações interpessoais, desenvolvendo estratégias saudáveis para melhor lidar com os comportamentos indesejáveis dos filhos.

Com essa mudança de olhar para a criança e trazendo para nós a responsabilidade de mudanças, nos vemos mais aptos a agir de forma diferente, principalmente com o suporte da criação com apego, que ajuda no desenvolvimento do autoconhecimento, incentiva a propagação do amor verdadeiro dentro das famílias.

Para finalizar, quando os pais estão felizes, os filhos estão felizes. Pais e/ou cuidadores felizes se sentem mais capazes de lidar com os filhos e driblar situações indesejadas, como adultos, sem ‘disputar’ nossas necessidades com a das crianças! 

Gostou da publicação? Quer saber mais sobre educação positiva, disciplina positiva, apego seguro, parentalidade positiva e educação parental? Entre em nosso blog.

Apego seguro: lidando com os desafios da parentalidade positiva

parentalidade positiva parentalidade consciente educação positiva apego seguro criando com apego

O apego seguro é muito importante para a qualidade da relação afetiva entre pais e filhos e fortalecer essa relação ajuda a proteger a saúde mental das crianças. A parentalidade positiva, assim como o apego seguro e a educação positiva, ajuda os pais a despertarem uma visão e um comportamento mais empático com os filhos e isso os pais a observarem as necessidades vitais das crianças e atende-las de forma carinhosa e compreensiva. 

O apego seguro defende que todas as crianças estabelecem um apego com seu cuidador principal, mas ele pode ser seguro ou inseguro. Criando com apego depende da atenção que é dedicada aos filhos e na eficácia que os pais atendem às suas necessidades. O mais importante nesse processo é respeitar e aceitar os sentimentos do bebê/criança, dando-lhe consolo e segurança.

Criando com apego Parentalidade positiva

A parentalidade positiva é uma abordagem que é uma escolha,  de um caminho entre a parentalidade rígida (autoritarismo) e a permissiva. Ela rejeita tanto a punição quanto a permissividade e pressupõe que a criança pode desenvolver no seu tempo sua autonomia (sim, não precisamos ‘incentivar’ um contexto natural e saudável) e participar da tomada de algumas decisões, dentro do que é adequado para sua idade, do contexto familiar e de limites respeitosos.

A parentalidade positiva, ou parentalidade consciente, prega a ideia de que, bater ou castigar as crianças não as ensinará a lidar com os próprios sentimentos ou para terem comportamentos adequados. 

A parentalidade consciente parte de um pressuposto de que ao gerar um filho e, ao mesmo tempo que mãe e pai se preparam para o nascimento, também se devem preparar para a parentalidade. E existem 5 dimensões da parentalidade positiva que são importantes nesse processo.

  1. Compreender as necessidades físicas da criança.
  2. Promover a segurança da criança.
  3. Promover o desenvolvimento, comportamento e a estimulação da criança.
  4. Comunicar de forma positiva com o filho.
  5. Exercer uma disciplina positiva através do apego seguro e educação positiva.

Criar e educar os filhos da mesma maneira com a qual fomos criados ou indo para o extremo oposto pode não ser a melhor maneira de educar o seu filho. Não existe uma receita, fórmula, correta para educar seus filhos, mas existem pontos que podem ser relevantes para esse processo.

Educação positiva e os desafios da parentalidade positiva

A notícia boa é que é possível que um adulto transforme uma relação de apego inseguro para apego seguro. O primeiro ponto é cuidar de você e da sua relação com seus filhos. Existem várias maneiras de trabalhar esse aspecto, seja sozinho ou com a ajuda de uma educadora parental.

Existem casos que os pais não conseguem desenvolver um apego seguro com o filho porque ainda não têm ideai de onde começar, como agir e que crenças deve abandonar. Criando com apego envolve a transformação dos pais e do seu modo de pensar e agir para criar novas perspectivas para facilitar o processo de relação pais-filhos.

Às vezes é difícil para os pais prestarem atenção, conhecer bem seu filho para ser responsivo e assertivo, consciente, resiliente e, principalmente, saber consolar e sustentar quando a criança não se sente bem. Porém, com uma boa orientação e foco, você pode alcançar os pilares do apego seguro e da parentalidade consciente e positiva.

Gostou da publicação? Quer saber mais sobre parentalidade positiva, parentalidade consciente, educação positiva, apego seguro e criando com apego? Entre em nosso blog.

Benefícios da Criação com apego no desenvolvimento Infantil

beneficios-da-criacao-com-apego-no-desenvolvimento-infantil

Criando com apego e Parentalidade positiva – Birra e Manha: desafios da primeira infância

A criação com apego e a Parentalidade positiva ajuda os pais a despertarem uma visão e um comportamento mais empático dos pais com os filhos, sempre com o objetivo de identificar qual necessidade que o filho está tentando comunicar por trás daquele comportamento indesejado, desafiadores como a ‘birra’, desafios com o sono e com a alimentação.

A criação com apego tem interessado cada vez mais as pessoas e isso é algo maravilhoso. Mães e pais que utilizam da educação positiva e o apego seguro, se esforçam muito para promover uma relação de valor, criando o filho com um olhar mais empático, com foco principal em entender e atender suas necessidades, com paciência e serenidade.

Não estou afirmando que a criação com apego é a solução para todos os problemas, mas é o caminho mais assertivo, considerando que não devemos esperar que nossos filhos atendam nossas necessidades de bem-estar e sim, sermos os promotores de bem-estar para nossos filhos que crescerão através desta estrutura fortalecedora, desenvolvendo sua responsabilidade pessoal que se manifesta na responsabilidade social.

Criação com apego – Uma maneira diferente de lidar com seus filhos

Não estou falando que a criação com apego é uma criação que comprovadamente trará resultados e que sua vida vai ser bem melhor, que lhe dará filhos obedientes, quietos e independentes. Na verdade, o apego seguro é um caminho a ser trilhado para se aproximar dos filhos e criar um laço mais afetuoso, efetivo e positivo, que repercutirá por toda a vida.
Mas o foco da nossa conversa agora não é falar sobre isso. Estamos aqui para compreendermos como podemos lidar com os desafios utilizando do apego seguro e da educação positiva.

Pense na situação: você está em uma loja e precisa resolver vários outros problemas e seu filho te pede alguma coisa, um doce. Você sabe que não é o momento para um doce ele começa a fazer uma cena. Faz birra, chora, cruza os braços, grita, chora mais e, quem sabe, até se deita no chão e começa a espernear. Todos sabemos o quão é difícil lidar com situações como esta, concorda?

Bem, não tenha vergonha, primeiramente. Por mais que tenham pessoas ao seu redor observando toda a cena e, provavelmente, possam estar te julgando por não ser uma boa mãe ou um bom pai, ele é o seu filho.

Primeiramente, procure estar tranquilo (a) e entenda que as birras fazem parte do desenvolvimento da criança. Ela ainda não entende muitas das coisas que os adultos vivem e cabe a nós ajuda-la para que possa saber como administrar corretamente seus desejos repentinos.

Como lidar com as birras – Apego Seguro

Primeiramente, as birras não sobre você. Naquele momento a criança está com um sentimento grande demais para ela lidar de uma maneira ‘socialmente aceitável’. Ela não tem ciência de que aquilo está te afetando e nem faz isso de propósito. Por mais que as pessoas estejam te olhando, esperando que você tome alguma providência, não o faça.

Aquele não é o momento certo. A criança não vai absorver nada do que você queira passar.
Lembra que falamos que o apego seguro é sobre estreitar as relações entre pais e filhos? É sobre ter empatia e entender as necessidades da criança?

Pois bem. A dica é: não grite, não ameace com punições ou castigos a criança naquele momento. Tente ajudar o seu filho a lidar com o momento. Abaixe-se, olhe nos olhos, nomeie suas solicitações (“estou vendo que você deseja levar este objeto. É mesmo muito bonito!”). Não tente convencê-lo ou explicar a razão de não levarmos, não é sobre isso. Ela precisa mesmo perceber que foi entendida, que foi vista, e só isso já promoverá uma organização. E só então tente acalmá-lo, dando um abraço, e se achar necessário, peça para respirar fundo e tente falar, calmamente, sobre o que ele deve estar sentindo.
As vezes a criança está tão imersa em suas crises de choro que palavras podem não ser tão eficientes. Tente, nesse caso, abraçar a criança. Estar no colo de quem você ama e que te entende, sempre ajuda a calmar o coração. E não é diferente com nossos filhos.

Vimos que existem maneiras respeitosas de lidar com as crises de choro e birras da criança. E o apego seguro é uma ferramenta importante para ajudar nessas situações, pois a intenção sempre é acolher, respeitar, nomear as necessidades e estar ciente que todo desafio é oportunidade de desenvolvermos em nós a capacidade de corregulá-los.

Quer saber mais sobre a criação com apego? A Parentalidade positiva e o apego seguro? Entre em contato conosco e saiba mais sobre educação positiva, criando com apego e outros assuntos sobre os pequenos, inscrevendo-se na nossa mentoria ou na certificação para pais da Escola de Educação Positiva, a certificação em Atuação consciente.

Sinta-se abraçado. Estamos juntos nessa caminhada!

Parentalidade positiva e o sono infantil

parentalidade-positiva-e-o-sono-infantil

A Parentalidade positiva significa assumir responsabilidades e comportamentos para otimizar o crescimento e estimular o desenvolvimento da criança, respeitando sua integridade enquanto um ser único e independente.

A Parentalidade positiva pode influenciar em vários fatores da vida da criança, como o sono infantil, autoestima, confiança, entre outros. O apoio da Parentalidade positiva deve ser centrado em fatores protetores e considerar as necessidades da criança em cada uma das suas fases de desenvolvimento, particularmente até os 3 anos de idade, período de maior vulnerabilidade e de profunda dependência da criança face aos seus cuidadores.

A Parentalidade positiva, educação positiva e a educação consciente influenciam diretamente no crescimento da criança no que diz respeito a autoestima, integridade e independência. A valorização das emoções positiva como a felicidade, talentos e o saudável relacionamento social são essenciais para a construção de uma personalidade positiva e para o desenvolvimento do potencial da criança, além de promover segurança e bem-estar.

Sono infantil – Crescimento infantil

A Parentalidade positiva tem 5 dimensões:

  1. Compreender as necessidades físicas da criança como o sono infantil.
  2. Promover segurança da criança.
  3. Promover o desenvolvimento, comportamento e a estimulação da criança.
  4. Comunicar de forma positiva com o filho.
  5. Exercer uma disciplina positiva, educação positiva e consciente.

A qualidade das trocas afetivas entre pais e filhos e a sensibilidade dos pais para interpretar e responder às necessidades da criança com autenticidade e coerência são competências fundamentais no exercício de uma parentalidade eficaz, responsável e protetora. Mas como isso pode influenciar no desenvolvimento da criança?

Para começar, temos o apego seguro. A Parentalidade positiva, promove o apego seguro, que se baseia no entendimento dos pais quanto às necessidades da criança, respeitando os momentos e os sentimentos da criança, transmitindo segurança, carinho e conforto. Entendendo que suas necessidades são prioridade. Não em detrimento da vida do cuidador, mas encontrando um equilíbrio saudável, com consciência da fragilidade, dependência e demanda naturais da criança.

Depois temos e educação positiva, que é uma forma de educar com foco no afeto, compreensão, respeito e aprendizado mútuo. Nessa ideia, castigos e chantagens não são construtivos para o bom desenvolvimento da criança. O foco é dar ênfase no melhoramento da autonomia, otimismo e autoconfiança da criança, que levará isso para o resto da vida.

Maternidade Real – Disciplina Positiva

Em uma publicação falamos sobre a maternidade real e disciplina positiva. A maternidade real mostra como as famílias estão se movimentando para criar filhos emocionalmente saudáveis. Quando a criança nasce ela se envolve com sua mãe em um só campo emocional (fusão emocional, conforme Laura Gutman nos traz com maestria em suas obras).

A maternidade real é a percepção da criança com a mãe e o sistema familiar e sua resposta com a mesma intensidade. A criança fica ligada a mãe por toda a infância e ela percebe, sente e age de acordo com a mãe. Ela tem uma certa dependência emocional.

É aí que entra a disciplina positiva. Aplicar a disciplina positiva não só durante os primeiros anos da criança, mas sempre, com gentileza e firmeza ao mesmo tempo, pode ajudar a criança a desenvolver habilidades para construir relacionamentos mais saudáveis e sem dependência emocional.

 

WhatsApp chat