Educação Positiva

Uma dúvida que vive latente no íntimo de todo pai e mãe, sejam eles marinheiros de primeira viagem ou já pertencentes a uma família grande, é como educar os filhos: com rigor e extremismo ou permissividade e complacência.

O caminho do meio vem sendo objeto de amplo debate e divulgação nos últimos tempos através da chamada educação positiva, que ganhou força de vários adeptos e profissionais especializados em auxiliar os pais na utilização do amor incondicional, respeito e cordialidade como meios essenciais ao pleno desenvolvimento da criança.

A disciplina positiva é uma filosofia baseada na literatura de Jane Nelsen, que aposta na firmeza com gentileza nas relações, sem o uso de punições ou recompensas, como a melhor forma de conduzir a formação de uma criança nos dias atuais.

O objetivo da educação positiva é utilizar-se da comunicação não violenta: é o amor na sua forma mais pura e simples que vai contribuir para o desenvolvimento cognitivo e intelectual da criança e deve ser utilizado de forma reiterada e frequente, todos os dias, porque o resultado é observado a longo prazo.

A comunicação positiva incentiva também a autonomia dos pequenos para melhor desenvolvimento infantil e o autoconhecimento é a um dos propósitos a ser atingido, porque influencia diretamente o desenvolvimento de habilidades comportamentais e sócio-emocionais.

A necessidade de alinhamento da educação no Brasil com as tendências mundiais fez com que vários cursos de especialização sobre o tema fossem disponibilizados a profissionais no país, razão pela qual tem crescido a oferta de programa de educação parental aos pais.

A educação parental é uma ferramenta de ajuda que visa melhorar a qualidade nas relações interpessoais, desenvolver estratégias saudáveis para melhor lidar com comportamentos indesejáveis, e ainda, estabelecer regras e limites sólidos, envolvendo a criação com apego, promovendo o autoconhecimento e incentivando a propagação do amor verdadeiro dentro das famílias e pode – e deve! – ser aplicada desde os primeiros anos de idade.

As mentorias disponíveis dentro da parentalidade positiva são unânimes em afirmar que o amor incondicional é a porta de entrada para a solução da grande maioria dos problemas familiares vividos na atualidade, e o uso constante da empatia pelo pai e pela mãe é essencial para a educação equilibrada das crianças, validando-se qualquer tipo de amor desde que fundado no respeito recíproco.

A importância do autoconhecimento e do desenvolvimento desta habilidade tanto para os pais quanto para os filhos é ponto de destaque nesta linha educacional e é essencial que os cuidadores também estejam em sintonia com a forma escolhida pela família de  educar, mantendo o controle sobre si, sobre suas reações e atitudes, porque serão sempre observados e usados como exemplos dentro de casa.

Assim, sabendo-se que o desenvolvimento infantil é um grande e eterno desafio aos pais, que buscam o equilíbrio, estabelecendo limites firmes e, ao mesmo tempo, incentivando a liberdade e a autonomia da criança, de forma que cresçam como indivíduos independentes e felizes, vale a pena pesquisar e buscar o apoio de um profissional na área para tirar suas dúvidas e começar a praticar essa linha educacional que preza pelas relações sólidas, amorosas e respeitosas.

WhatsApp chat