Apego seguro e inseguro, vamos entender?

Na maternidade temos diversos temas a tratar, discutir e aprender. Um que gosto muito é o sobre apego seguro, ou seja, criação com apego.

Vamos entender primeiro a diferença entre apego seguro e inseguro.

O apego se refere ao vínculo que a criança tem com seus pais como fonte de referência desde a primeira fase da vida. No entanto, o tipo de apego pode levar a uma ligação saudável ou então, ao contrário, a um vínculo instável marcado pela ansiedade. Assim se reflete o apego seguro e o inseguro.

O apego na maternidade faz referência de modo direto com essa proximidade marcada pelo amor, ou seja, é o amor e o desejo de ser amado que faz com que exista uma ligação fundamental e tão importante para o desenvolvimento infantil. Um contexto de estabilidade emocional faz a criança crescer com inteligência emocional, alegria e ilusão. Graças à atitude generosa do pai e da mãe, as crianças recebem um carinho especial. Deste modo, a criança sabe que suas necessidades são levadas em conta, se sentindo importante e desenvolvendo laços afetivos.

Já o apego inseguro na maternidade pode ser considerado como desapego, que não gera laços afetivos no desenvolvimento infantil, e se caracteriza pela criança que deixa de ser ouvida em suas necessidades. Esta experiência faz com que a criança chegue à fase adulta e experimente uma sensação de abandono e exílio, deixando feridas em sua autoestima e criando uma desconfiança de vínculo com os demais.

Este tipo de apego inseguro é resultado do comportamento dos pais que incentivaram a independência dos filhos desde cedo, ou seja, não está de acordo com a idade vital da criança. Por exemplo, os pais podem minimizar o significado do choro da criança com a crença de não mimá-la em excesso.

Vale destacar que quando uma criança vive um apego inseguro não significa que seus pais não lhe queriam, acontece que há comportamentos do ponto de vista pedagógico que podem ser melhorados por não haver uma empatia real com as necessidades presentes da criança. O que aprende uma criança quando é questionada e não sabe o que fazer? Aprende a reprimir seus sentimentos.

A relação entre amamentação e apego seguro

A amamentação proporciona laços afetivos, trata-se de um momento de união entre mãe e filho. No entanto, existem muitas mães que não conseguem amamentar. Vale ressaltar que não devem se culpar, pois as oportunidades de criar vínculo com seu bebê são infinitas.

O mais importante para o apego seguro é estar com seu filho, alimentando-o de alguma maneira que nem sempre será no peito. Alimentando ou amamentando com presença, amor e afeto.

{"@context":"https://schema.org","@type":"NewsArticle","mainEntityOfPage":{"@type":"WebPage","@id":"https://8horas.com.br/o-que-metodo-busquet-e-qual-sua-relacao-com-o-corpo-dos-bebes/"},"headline":"Criação com apego na maternidade - amamentação e laços afetivos","image":["https://8horas.com.br/wp-content/uploads/2019/06/criacao-com-apego-maternidade-amamentacao-dest-300x300.jpg"],"datePublished":"2019-06-26T08:00:00+08:00","dateModified":"2019-06-26T09:20:00+08:00","author":{"@type":"Person","name":"8 Horas"},"publisher":{"@type":"Organization","name":"8 Horas","logo":{"@type":"ImageObject","url":"https://8horas.com.br/o-que-metodo-busquet-e-qual-sua-relacao-com-o-corpo-dos-bebes/"}},"description":"A criação com apego pode ser exercida na maternidade por meio da amamentação, a fim de criar laços afetivos com o bebê."}
WhatsApp chat