Como iniciar um desfralde? Criação com apego seguro

como-iniciar-um-desfralde-criacao-com-apego-seguro

Cada criança tem o momento certo para o desfralde e é importante saber como deixar essa fase de “como tirar fralda” mais tranquila e sem medos. Por ser um dos grandes desafios da maternidade, é um processo que ainda exige muita atenção dos pais, pois consiste em promover o desejo do pequeno a pedir para ir ao banheiro, quando a vontade de fazer xixi ou cocô surgir.

A criação com apego e a educação positiva são bases que podem ajudar os pais a conseguirem passar por uma fase que é consideravelmente natural, mas se torna difícil ao olhar dos pais porque acreditamos que devemos ‘forçar’ o processo. Uma das bases do apego seguro é atender e responder às necessidades de uma criança com atenção, carinho e, principalmente, com segurança. E aqui inclui o olhar atento ao desenvolvimento da criança e perceber que ela está pronta para o processo, ou seja, ela apresenta capacidade motora e cognitiva para essa fase! Neste post vamos falar sobre o desfralde e sobre como lidar com esse processo, utilizando da criação com apego e da educação positiva, principalmente.

Como tirar a fralda – Apego Seguro

Seu filho está crescendo e descobrindo o próprio corpo. Percebendo mãos, pés e também as suas necessidades. O desfralde é o momento em que a criança passa a perceber que aquilo que está na fralda é ela quem faz. É uma mudança grande na capacidade de autopercepção, diferente de tudo o que a criança já passou antes.

É um processo que todas as crianças passam. E elas passam, tenha certeza. Mas tudo tem seu tempo certo. Não existe uma idade precisa para fazer essa passagem, mas os especialistas afirmam que antes de 2 anos a criança não tem maturidade para encarar essa mudança (uma demonstração de capacidade motora importante é: tirar e colocar roupas sozinho e pular com os dois pés).

Mas como tirar fralda, qual o momento certo? Normalmente o desfralde começa entre 18 meses e 4 anos de idade. Caso você insista antes, você pode se estressar e isso não trará qualquer benefício para ele.

Lembra que falamos sobre o respeito às necessidades dos filhos? Sim, o apego seguro entra aqui, principalmente aqui. Sabe-se que existe um momento ‘X’ da vida da criança em que ela vai sentir a necessidade e vai perceber a hora de mudar, cabe aos pais perceberem isso, dar atenção necessária, com carinho, empatia e segurança.

Como iniciar o desfralde – Educadora parental – Dicas

Vamos a algumas dicas para as mães e pais sobre como acompanhar a retirada da fralda (e não ‘como tirar fralda’. O processo depende de atender e respeitar as necessidades da criança.

A primeira informação é:  observe e apoie a retirada das fraldas no período do dia. A criança só vai dormir sem fralda depois que deixar de usá-las durante o dia. Outra dica é começar no verão. Prefira o verão. Durante o processo a criança vai fazer xixi na roupa algumas vezes até conseguir controlar e, durante o verão, é mais fácil de deixar a criança molhada ou com poucas roupas, como só de cueca ou calcinha.

Mesmo no começo, quando a criança ainda não souber identificar e controlar suas necessidades é importante entender que esse não é MESMO o momento indicado para que você o encoraje a ficar  sem faldas por algumas horas em casa ou na escolinha.

Como falamos, o apego seguro e a educação positiva têm como base compreender, ter empatia, e entender as necessidades das crianças e, além disso, receber a informação e tratar com atenção, carinho e segurança que a criança necessita. Logo, caso a criança faça algumas necessidades em situações inconvenientes, como em festas de colegas ou lugares públicos, é importante que os pais não briguem com a criança. Isso irá diminuir a confiança e segurança da criança nela mesmo, e nos pais.

O desfralde é uma fase complicada e cada vez que os pequenos conseguirem fazer xixi no lugar certo isso deve ser valorizado sem muito alarde, para que ela não associe seu valor com atitudes e sim, sentir-se amada independente das suas atitudes. Elogiar não encoraja uma criança, mas a torna dependente de elogios e insegura.

Quer saber mais sobre a criação com apego, apego seguro e educadora parental? Através do nosso blog você fica por dentro de temas sobre educação positiva, desmame, desfralde, criando com apego e outros assuntos.

Benefícios da Criação com apego no desenvolvimento Infantil

beneficios-da-criacao-com-apego-no-desenvolvimento-infantil

Criando com apego e Parentalidade positiva – Birra e Manha: desafios da primeira infância

A criação com apego e a Parentalidade positiva ajuda os pais a despertarem uma visão e um comportamento mais empático dos pais com os filhos, sempre com o objetivo de identificar qual necessidade que o filho está tentando comunicar por trás daquele comportamento indesejado, desafiadores como a ‘birra’, desafios com o sono e com a alimentação.

A criação com apego tem interessado cada vez mais as pessoas e isso é algo maravilhoso. Mães e pais que utilizam da educação positiva e o apego seguro, se esforçam muito para promover uma relação de valor, criando o filho com um olhar mais empático, com foco principal em entender e atender suas necessidades, com paciência e serenidade.

Não estou afirmando que a criação com apego é a solução para todos os problemas, mas é o caminho mais assertivo, considerando que não devemos esperar que nossos filhos atendam nossas necessidades de bem-estar e sim, sermos os promotores de bem-estar para nossos filhos que crescerão através desta estrutura fortalecedora, desenvolvendo sua responsabilidade pessoal que se manifesta na responsabilidade social.

Criação com apego – Uma maneira diferente de lidar com seus filhos

Não estou falando que a criação com apego é uma criação que comprovadamente trará resultados e que sua vida vai ser bem melhor, que lhe dará filhos obedientes, quietos e independentes. Na verdade, o apego seguro é um caminho a ser trilhado para se aproximar dos filhos e criar um laço mais afetuoso, efetivo e positivo, que repercutirá por toda a vida.
Mas o foco da nossa conversa agora não é falar sobre isso. Estamos aqui para compreendermos como podemos lidar com os desafios utilizando do apego seguro e da educação positiva.

Pense na situação: você está em uma loja e precisa resolver vários outros problemas e seu filho te pede alguma coisa, um doce. Você sabe que não é o momento para um doce ele começa a fazer uma cena. Faz birra, chora, cruza os braços, grita, chora mais e, quem sabe, até se deita no chão e começa a espernear. Todos sabemos o quão é difícil lidar com situações como esta, concorda?

Bem, não tenha vergonha, primeiramente. Por mais que tenham pessoas ao seu redor observando toda a cena e, provavelmente, possam estar te julgando por não ser uma boa mãe ou um bom pai, ele é o seu filho.

Primeiramente, procure estar tranquilo (a) e entenda que as birras fazem parte do desenvolvimento da criança. Ela ainda não entende muitas das coisas que os adultos vivem e cabe a nós ajuda-la para que possa saber como administrar corretamente seus desejos repentinos.

Como lidar com as birras – Apego Seguro

Primeiramente, as birras não sobre você. Naquele momento a criança está com um sentimento grande demais para ela lidar de uma maneira ‘socialmente aceitável’. Ela não tem ciência de que aquilo está te afetando e nem faz isso de propósito. Por mais que as pessoas estejam te olhando, esperando que você tome alguma providência, não o faça.

Aquele não é o momento certo. A criança não vai absorver nada do que você queira passar.
Lembra que falamos que o apego seguro é sobre estreitar as relações entre pais e filhos? É sobre ter empatia e entender as necessidades da criança?

Pois bem. A dica é: não grite, não ameace com punições ou castigos a criança naquele momento. Tente ajudar o seu filho a lidar com o momento. Abaixe-se, olhe nos olhos, nomeie suas solicitações (“estou vendo que você deseja levar este objeto. É mesmo muito bonito!”). Não tente convencê-lo ou explicar a razão de não levarmos, não é sobre isso. Ela precisa mesmo perceber que foi entendida, que foi vista, e só isso já promoverá uma organização. E só então tente acalmá-lo, dando um abraço, e se achar necessário, peça para respirar fundo e tente falar, calmamente, sobre o que ele deve estar sentindo.
As vezes a criança está tão imersa em suas crises de choro que palavras podem não ser tão eficientes. Tente, nesse caso, abraçar a criança. Estar no colo de quem você ama e que te entende, sempre ajuda a calmar o coração. E não é diferente com nossos filhos.

Vimos que existem maneiras respeitosas de lidar com as crises de choro e birras da criança. E o apego seguro é uma ferramenta importante para ajudar nessas situações, pois a intenção sempre é acolher, respeitar, nomear as necessidades e estar ciente que todo desafio é oportunidade de desenvolvermos em nós a capacidade de corregulá-los.

Quer saber mais sobre a criação com apego? A Parentalidade positiva e o apego seguro? Entre em contato conosco e saiba mais sobre educação positiva, criando com apego e outros assuntos sobre os pequenos, inscrevendo-se na nossa mentoria ou na certificação para pais da Escola de Educação Positiva, a certificação em Atuação consciente.

Sinta-se abraçado. Estamos juntos nessa caminhada!

Parentalidade positiva e o sono infantil

parentalidade-positiva-e-o-sono-infantil

A Parentalidade positiva significa assumir responsabilidades e comportamentos para otimizar o crescimento e estimular o desenvolvimento da criança, respeitando sua integridade enquanto um ser único e independente.

A Parentalidade positiva pode influenciar em vários fatores da vida da criança, como o sono infantil, autoestima, confiança, entre outros. O apoio da Parentalidade positiva deve ser centrado em fatores protetores e considerar as necessidades da criança em cada uma das suas fases de desenvolvimento, particularmente até os 3 anos de idade, período de maior vulnerabilidade e de profunda dependência da criança face aos seus cuidadores.

A Parentalidade positiva, educação positiva e a educação consciente influenciam diretamente no crescimento da criança no que diz respeito a autoestima, integridade e independência. A valorização das emoções positiva como a felicidade, talentos e o saudável relacionamento social são essenciais para a construção de uma personalidade positiva e para o desenvolvimento do potencial da criança, além de promover segurança e bem-estar.

Sono infantil – Crescimento infantil

A Parentalidade positiva tem 5 dimensões:

  1. Compreender as necessidades físicas da criança como o sono infantil.
  2. Promover segurança da criança.
  3. Promover o desenvolvimento, comportamento e a estimulação da criança.
  4. Comunicar de forma positiva com o filho.
  5. Exercer uma disciplina positiva, educação positiva e consciente.

A qualidade das trocas afetivas entre pais e filhos e a sensibilidade dos pais para interpretar e responder às necessidades da criança com autenticidade e coerência são competências fundamentais no exercício de uma parentalidade eficaz, responsável e protetora. Mas como isso pode influenciar no desenvolvimento da criança?

Para começar, temos o apego seguro. A Parentalidade positiva, promove o apego seguro, que se baseia no entendimento dos pais quanto às necessidades da criança, respeitando os momentos e os sentimentos da criança, transmitindo segurança, carinho e conforto. Entendendo que suas necessidades são prioridade. Não em detrimento da vida do cuidador, mas encontrando um equilíbrio saudável, com consciência da fragilidade, dependência e demanda naturais da criança.

Depois temos e educação positiva, que é uma forma de educar com foco no afeto, compreensão, respeito e aprendizado mútuo. Nessa ideia, castigos e chantagens não são construtivos para o bom desenvolvimento da criança. O foco é dar ênfase no melhoramento da autonomia, otimismo e autoconfiança da criança, que levará isso para o resto da vida.

Maternidade Real – Disciplina Positiva

Em uma publicação falamos sobre a maternidade real e disciplina positiva. A maternidade real mostra como as famílias estão se movimentando para criar filhos emocionalmente saudáveis. Quando a criança nasce ela se envolve com sua mãe em um só campo emocional (fusão emocional, conforme Laura Gutman nos traz com maestria em suas obras).

A maternidade real é a percepção da criança com a mãe e o sistema familiar e sua resposta com a mesma intensidade. A criança fica ligada a mãe por toda a infância e ela percebe, sente e age de acordo com a mãe. Ela tem uma certa dependência emocional.

É aí que entra a disciplina positiva. Aplicar a disciplina positiva não só durante os primeiros anos da criança, mas sempre, com gentileza e firmeza ao mesmo tempo, pode ajudar a criança a desenvolver habilidades para construir relacionamentos mais saudáveis e sem dependência emocional.

 

Importância e desafios da primeira infância

educacao-positiva-autocuidado

A primeira infância é compreendida dos 0 aos 6 anos de idade e é uma grande janela de aprendizagem da criança. É nessa fase que a criança estabelece até 700 novas conexões neurais por segundo, quase o dobro do que irá conseguir no restante da sua vida. A primeira infância é um período fundamental no desenvolvimento cerebral. Os bebês começam cedo o seu aprendizado sobre o mundo que os cerca.

Segundo especialistas, o investimento nessa fase pode trazer benefícios não só pessoais, mas coletivos, como o aumento da renda do país, redução de problemas sociais, como baixa escolaridade, violência e até a mortalidade infantil. Existem métodos de estudos que correlacionam e comprovam que o investimento financeiro realizado na primeira infância resulta no impacto positivo e melhora significativamente a vida das crianças até a idade adulta.

Estágios de desenvolvimento

Até os 6 anos de idade as crianças desenvolvem habilidades como linguagem, competências emocionais, funções cognitivas como a atenção, memória, o pensamento crítico e o planejamento. Essas habilidades são refinadas durante a adolescência da criança, mas começam a ser formadas logo na primeira infância.

Essas habilidades surgem quando a criança precisa controlar seus impulsos, prestar atenção ou cumprir regras. Durante os estágios de desenvolvimento as crianças que são orientadas a persistir, lidar com o fracasso e resolver problemas têm mais chances de se tornarem pessoas melhores.

Quando falamos de resolver problemas e persistir, é importante citar o apego seguro e a educação positiva. A educação positiva tem o objetivo de educar os filhos baseando na educação, autocuidado, amor e empatia, ajudando no desenvolvimento da educação emocional. O foco da educação positiva é o encorajamento da criança, tornando as crianças mais responsáveis, respeitosas, resilientes e com recursos para solucionarem problemas da vida de uma forma segura. É uma metodologia que ensina habilidades sociais e habilidades de vida.

Mas qual a relação da educação positiva, apego seguro com a primeira infância?

Bem, vimos que é na primeira infância que as crianças começam a desenvolver a maioria das suas habilidades que serão levadas para a vida, refinadas na adolescência e lapidada na vida adulta.

Apego seguro, educação emocional e a primeira infância

O apego seguro é uma posição dos pais com relação aos filhos. É o entendimento das necessidades das crianças e a dedicação com afeto, criação de vinculo, criação com disponibilidade, empatia e segurança emocional.

A criança, até os 3 anos de idade, passa a estabelecer um relacionamento pessoal com seus cuidadores, que na maior parte das vezes são os próprios pais. O ambiente familiar promove o autocuidado e facilita a criação do vínculo entre crianças e cuidadores.

É importante que na primeira infância a criança passe por boas vivencias, compartilhe momentos com seus familiares. É a partir daí que elas vão moldando o seu desenvolvimento. Em publicações anteriores falamos mais sobre a educação emocional e o apego seguro e como isso pode beneficiar as crianças e os pais.

Quer saber mais sobre Educação emocional e criação com apego? Em outras postagens falamos sobre esses temas. Em nosso blog você também vai encontrar postagens sobre educação positiva e criação consciente.

Outra oportunidade de conhecer melhor sobre Educação Positiva é através da nossa Certificação em Atuação Positiva, direcionada a profissionais da saúde, professores e pais.

Faça sua inscrição (http://bit.ly/34ZnavX)

 

Mindfulness – Educação positiva

desenvolvimento-infantil-autoestima-autoconfianca

Mindfulness é um conjunto de técnicas práticas, possíveis e cientificamente comprovadas que ajudam a focar no momento presente. É uma prática conhecida por ajudar as pessoas a não deixarem o passado ou o futuro as afetarem, tornando sua mente mais desperta e saudável.

O objetivo do mindfulness é sair do estado de falta de consciência e viver uma vida consciente do momento presente, dos seus sentimentos e sensações. O uso das práticas de mindfulness tem se tornado cada vez mais frequente no mundo, em todas as áreas. Na vida pessoal, nas escolas, nas empresas… Ela está entrando como um complemento para conseguirmos avaliar nossa intenção e então ter atitudes que estão em consonância com a disciplina positiva, a educação positiva, ajudando no desenvolvimento pessoal e, consequentemente, no desenvolvimento infantil.

Educadora Parental – Mindfulness

As práticas de mindfulness tem ajudados as crianças, em ambiente familiar e escolar, a aprimorar a atenção. Podemos dizer que as crianças já vivem o momento presente, afinal, estão em plena descoberta! Mas a prática vem auxiliando também a regular suas emoções, melhorar a autoestima, a autoconfiança, além de melhorar as habilidades nas relações interpessoais.

Alguns dos comportamentos mais difíceis de lidar com as crianças estão relacionados com a agressividade, impulsividade e desinteresse. E as vezes os pais e professores não conseguem achar estratégias para lidar com estes comportamentos e gerir estas situações.

Uma educadora parental que aplica das técnicas de mindfulness pode ajudar a criança a desenvolver a agressividade e a impulsividade das crianças de forma harmoniosa e correta, uma vez que esses comportamentos estão ligados a maturação cerebral das crianças. A criança precisa de vínculos fortes e seguros, além de vivencia positiva, para desenvolver consciência de si e do próximo. A educação positiva possui técnicas que ajudam a criança a desenvolver empatia, autoestima e autoconfiança. Foi visto em outras publicações que a disciplina positiva é um conjunto de práticas que, além dos fatores citado acima, ajuda a criança a ser mais autônoma.

Desenvolvimento infantil – Mindfulness

O mindfulness é uma prática que pretende desenvolver, na educação, juntos dos vários elementos integradores, práticas que apoiam a uma nova consciência de nós e dos outros, fundamentais para a promoção de melhorias relacionais e vivencia das 7 atitudes mindfulness:

  1. Não julgamento
  2. Paciência
  3. Mente de principiante
  4. Confiança
  5. Não esforço
  6. Aceitação
  7. Deixar estar e deixar ir

O mindfulness tem se mostrado uma ótima pratica que ajuda no desenvolvimento infantil. Ela envolve treinar a atenção voluntária alterando a capacidade intencional da pessoa. Ela ajuda a focar aumentando a habilidade de permanecer consciente do momento atual. Veja os seus benefícios:

  1. Calma mental
  2. Maior consciência plena
  3. Gestão dos pensamentos e das emoções
  4. Redução do stress físico e emocional
  5. Aumento da concentração e memória
  6. Mais saúde e bem-estar físico.

Vimos que uma das formas de fazer educação positiva é implantar as práticas de mindfulness com os pequeninos. Bastam 5 a 10 minutos por dia para aplicar as técnicas e os resultados já serão visíveis. As atividades de mindfulness propriamente dita tem foco em respiração, meditação guiada e outras.

Quer saber mais sobre educação positiva? Faça sua inscrição (http://bit.ly/34ZnavX) na nossa Certificação em Atuação Positiva, direcionada a profissionais da saúde, professores e pais.

Em nosso blog você também vai encontrar postagens sobre como melhorar o sono do bebê e o desmame natural e gentil. Gostou da postagem? Entre em nosso blog e fique por dentro das notícias sobre os baixinhos!

 

Parentalidade consciente – Criação com Apego

criacao-com-apego-autoconfiançac-autoestima

A Educação positiva tem como objetivo criar pessoas íntegras, empáticas, saudáveis e felizes. Pais que utilizam da educação positiva e a criação com apego estão promovendo uma relação de qualidade. Promove educação, autoconfiança, autoestima, integridade e o mais importante: uma pessoa mais ciente dos limites que existem na sua vida e na vida de todos ao seu redor.

Através da criação com apego as crianças se tornam mais independentes e são capazes de tomar decisões sem os pais ao lado. Ela se torna autodisciplinada, incentivada a pensar, aprende se escutar e escutar os outros, entre outros benefícios.

A Parentalidade consciente parte do pressuposto de que ao gerar um filho e, ao mesmo tempo que mãe e pais e preparam para o nascimento, também se devem preparar para a Parentalidade. São necessários alguns passos para que os pais atinjam a Parentalidade positiva e nessa postagem vamos falar alguns desses passos.

Teoria do apego – Positividade

Na teoria do apego, a Parentalidade é sinônimo de tomar conta. Significa assumir responsabilidades e comportamentos para otimizar o crescimento e estimular o desenvolvimento da criança respeitando a sua integridade enquanto ser único e independente.

É importante garantir as necessidades da criança em cada uma de suas fases de desenvolvimento e a criação com apego pode garantir isso. A criação com apego é uma forma de educação que auxilia os pais a estreitar os vínculos com os filhos, respeitando suas necessidades e ajudando a desenvolver a empatia, compaixão ao próximo, a autoconfiança e a autoestima. O objetivo é único: transformar as crianças em seres humanos mais empáticos, independentes e seguros de si.

Dimensões da Parentalidade Positiva – Educação positiva

A valorização das emoções positivas como a felicidade, os talentos, o saudável relacionamento social com os pares ou o incentivo do desenvolvimento dos interesses e pontos fortes das pessoas são cruciais para a construção de uma personalidade positiva e para o desenvolvimento da criança. E para que isso aconteça, é importante que os pais aprendam as cinco dimensões da Parentalidade positiva:

  1. Conhecer as necessidades físicas das crianças.
  2. Promover a segurança da criança.
  3. Promover o desenvolvimento, comportamento e a estimulação da criança.
  4. Comunicar de forma positiva e não violenta.
  5. Exercer uma disciplina positiva.

A Parentalidade positiva surgiu com a necessidade de encontrar estratégias de lidar contra a violência e maus tratos infantis tendo como base o trabalho desenvolvido junto dos pais/cuidadores. Ela se refere ao comportamento dos progenitores respeitador dos melhores interesses e direitos das crianças. Ela não é uma Parentalidade permissiva, pois estabelece limites que as crianças precisam para as ajudar a desenvolver o seu potencial.

Compreender a natureza dos filhos, entender as características da sua fase de desenvolvimento, colocar limites com empatia, respeitar os seus sentimentos, investir na qualidade do vínculo, disciplinar sem castigar, deixá-los aprender com as consequências de suas escolhas e a importância da comunicação são algumas estratégias que podemos aprender com a Parentalidade Positiva.

Quer saber mais sobre Parentalidade positiva e criação com apego? Em outras postagens falamos sobre esses temas. Em nosso blog você também vai encontrar postagens sobre como melhorar o sono do bebê e o desmame natural e gentil.

 

WhatsApp chat