Fisiologia do sono – Criação com apego e Consultoria do sono

fisiologia-do-sono-criacao-com-apego-e-consultoria-do-sono

O sono é uma necessidade fisiológica básica para o crescimento do corpo, recuperação e revitalização física, amadurecimento cerebral, aprendizado e memorização. Alguns bebês chegam a dormir de 16 a 20 horas por dia nos primeiros dias de vida, enquanto outros dormem de 8 a 10 horas.

Mesmo que cada criança recém-nascida tenha diferentes necessidades de sono, é importante que os pais conheçam um pouco da fisiologia do sono e o funcionamento do sono dos bebês.

O sono é um estado neurológico presente em todas as espécies animais superiores e suas funções ainda não foram completamente definidas. Dormir e descansar são ações diferentes, o descanso sem dormir não proporciona a mesma sensação de renovação que experimentamos após uma boa noite de sono.

Fisiologia do sono

O sono tem uma relação direta com a saúde mental. Ele é essencial para o bem-estar neurológico e psicológico, além de desempenhar várias funções na regulação do organismo. O sono é determinante na regulação da homeostasia do nosso organismo, contribuindo para manter o equilíbrio do meio interno. Ele ajuda na conservação do organismo, restauração de tecidos, organização da memória e seleção de informação, consolidação do sistema imunológico e secreção de hormônio do crescimento em crianças e adolescentes.

A privação do sono pode levar à exaustão, dano físico de tecidos corporais, disfunções no sistema imunológico e até o estresse profundo. O hormônio do crescimento, responsável pelo crescimento físico de todo ser humano, é liberado principalmente durante os estágios do sono profundo. Uma disfunção séria no sono poderia levar à liberação insuficiente desse hormônio, comprometendo o amadurecimento corporal.

A quantidade de sono é diferente em cada bebê. Alguns dormem 6 horas ininterruptas e outros dividem o sono e acordam de hora em hora. Para saber se o seu bebê dormiu o suficiente, observe seu comportamento durante as horas de vigília. Se ele demonstrar calma, facilidade de relacionar-se e de se manter em alerta, tudo vai bem. Caso contrário, tente fazê-lo dormir mais um pouco.

Apego Seguro, Disciplina positiva e a quarto ou cama compartilhada

Um dos princípios da criação com apego é aprender a respeitar e compreender o horário de sono da criança. Os princípios da criação com apego seguro pregam que os bebês precisam se sentir seguros física e emocionalmente antes de fazer qualquer coisa.

É importante que o bebê se sinta seguro durante a noite e uma das práticas mais comuns do apego seguro para ajudar no sono do bebê é o Cosleeping. O cosleeping significa pais dormirem próximos aos filhos. Isso pode ser feito por meio da cama compartilhada, ou com um berço, cama ou moisés acoplado à cama do casal. O objetivo é tornar as rotinas noturnas mais relaxantes, criando hábitos de sono mais saudáveis.

Assim como o sono é importante para o desenvolvimento do bebê, a disciplina positiva e as filosofias que promovem respeito e amorosidade, também ajudam na manutenção do sono da criança, uma vez que pregam empatia, gentileza e afeto na nossa relação com os nossos filhos. Os filhos acabam se sentindo longe do perigo, e se sentem mais seguros para dormir ou explorar o mundo.

Vimos que o sono do bebê é importante para a manutenção do seu desenvolvimento. E que a disciplina positiva e a criação com apego agem diretamente no sono da criança.

Quer saber mais sobre o sono do bebê? Precisa de uma consultoria do sono? Entre em contato com uma de nossas consultoras (tem sempre uma perto de você) e saiba mais sobre apego seguro, disciplina positiva e fisiologia do sono.

Cuidados com recém-nascido: primeiro banho do bebê

Os cuidados com recém-nascido normalmente estão acompanhados com muitas dúvidas. Sejam pais de primeira viagem ou não, uma dúvida muito comum é como dar banho no bebê, principalmente o primeiro banho do bebê, não é mesmo?

Neste post vamos dar dicas de como dar banho em recém-nascido.

O primeiro banho do bebê: cuidados com recém-nascido

O primeiro banho do bebê não precisa ser uma missão impossível, ainda mais que é um momento especial e único. Fique tranquilo, vamos te ajudar a entender melhor como dar banho no bebê.

Primeiramente, atenção! Alguns especialistas recomendam que o primeiro banho do bebê pode esperar. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, esperar para dar o primeiro banho do bebê traz benefícios como proteger a pele do bebê e até ajudar no desenvolvimento do pulmão. A explicação é que o vérnix, substância branca e gordurosa que cobre o corpo do bebê no útero da mãe, possui propriedades antimicrobianas.

De acordo com um estudo do Advocate Sherman Hospital (EUA), esperar pelo menos 24 horas para dar o primeiro banho do bebê pode evitar que o recém-nascido apresente hipotermia (perda de calor) e hipoglicemia (queda de glicose).

Outro ponto muito importante nos cuidados com recém-nascido é que retardar o banho no bebê pode favorecer a amamentação exclusiva, momento tão esperado pelas mães. Retardar o primeiro banho do bebê significa mais tempo ininterrupto entre mãe e bebê, com maior contato de pele e maior vínculo, uma vez que o recém-nascido é guiado até o peito da mãe pelo aroma familiar. Outro estudo liberado por DiCioccio e publicado no Journal of Obstetric, Gynecologic & Neonatal Nursing, apresentou resultados significativos em recém-nascidos que tomaram banho mais tarde. De acordo com a pesquisa, os bebês apresentaram temperatura normal após o primeiro banho, em comparação àqueles que o anteciparam e sentiram frio após o banho e cansaço para mamar. Ademais, colocar o bebê no peito da mãe para a amamentação exclusiva logo após o parto é outro fator que favorece o conforto do recém-nascido.

Como dar banho em recém-nascido: dicas

A Academia Americana de Pediatria (AAP) também tem dicas de como dar banho em recém-nascido. De acordo com a AAP, o excesso de banho no bebê pode ser um fator que atrapalhe os cuidados com recém-nascido, pois pode ressacar a pele do bebê. Normalmente, o bebê recém-nascido não fica muito sujo, a mesmo que sujem suas fraldas com cocô ou suas roupas com cuspidas.

Nos banhos iniciais do bebê, quando ainda está com o cordão umbilical, recomenda-se usar uma esponja para evitar que o coto do cordão umbilical fique molhado. Sendo assim, para a limpeza do cordão umbilical você pode usar hastes de algodão e um pouco de álcool. Atenção: certifique-se que a área do cordão umbilical esteja bem seca para, assim, fechar a fralda do bebê.

Testar a temperatura da água é uma dica infalível para os cuidados com recém-nascido. A pele do bebê é mais sensível que a pele do adulto. Para tanto, teste a temperatura da água com o dorso da mão ou o cotovelo, movimentando-a de um lado para o outro, misturando água quente e fria. Por fim, na hora do banho do bebê recomenda-se o uso da água morna.

Se você ainda tem dúvidas de como dar banho no bebê, procure a Consultoria do Sono para garantir que seu bebê tenha qualidade de vida e conforto.

 

Consultoria do sono: por que o bebê recém nascido chora

Gravidez e o bebê recém nascido

Durante a gravidez muitos pensamentos flutuam na nossa mente como, por exemplo, saber lidar com o bebê recém nascido nas primeiras semanas de vida, como carregá-lo, qual a forma correta de amamentação. Atrelado a isso, também pensamos o que fazer, como fazer e qual o motivo do bebê chorando, não é mesmo?

Para entender melhor sobre esse assunto, precisamos entender que o bebê recém nascido se comunica pelo choro.  Em algumas situações, o bebê chorando pode manifestar algum desconforto como, por exemplo, o aviso da hora da amamentação. Pode indicar, também, o desconforto da famosa cólica em bebê, um dos motivos excessivos do choro do bebê. Alguns profissionais acreditam que a cólica em bebê pode ser causada por dores de estômago ou abdominais.

Mas não se desespere! Essas dicas são para te conscientizar e te acalmar, antes que os pensamentos voltem a flutuar na mente durante a gravidez. O choro do bebê não faz mal e é muito comum. A notícia boa é que o choro em bebê recém nascido ajuda a liberar a tensão ou a evitar sons e sensações que são muito intensas.

Bebê chorando: como identificar o motivo

Normalmente, quando o bebê está com fome e sede, isso quer dizer que está na hora da amamentação. Sendo assim, você perceberá sinais do bebê recém nascido de chupando o dedo e abrindo e fechando as mãos. Para tanto, basta amamentá-lo.

No caso de desconforto, talvez a cólica em bebê, frio ou calor, o bebê recém nascido provavelmente vai se contorcer ou arquear as costas enquanto chora. Importante verificar a fralda além de tentar deixa-lo em uma posição confortável para descobrir o motivo do bebê chorando.

O bebê chorando querendo manifestar sua reclamação vai ser um bebê com choro rabugento. Nada que você fizer vai agradá-lo. Então, papais, percebam o ambiente em que estão e, caso esteja muito barulhento e/ou agitado, leve seu bebê recém nascido para um lugar mais calmo.

Nenhuma mamãe ou papai deseja que seu bebê fique doente, não é? Mas também não precisam achar que o bebê chorando a toda instante significa que ele está doente. Para identificar o bebê doente, basta observar um choro fraco, manhoso e acompanhado de gemidos que querem dizer “estou me sentindo mal”. Fiquem atentos e, caso o bebê recém nascido permaneça assim, leve-o ao pediatra.

O bebê chorando alto e nervoso pode indicar cansaço e sono. Você pode perceber, também, que o bebê recém nascido vai esfregar os olhos e bocejar. Essa dica é fácil: leve seu bebê para um ambiente tranquilo, cante para ele, harmonize o ambiente com luzes baixas e o permita tirar um cochilo.

Por fim, para não te causar preocupações na gravidez e você desfrutá-la com muito sono, procure por um profissional de Consultoria do Sono. Essa é a melhor dica do post, pois com a Consultoria do Sono Materno-Infantil você conseguirá aumentar sua conexão com seu bebê e evitará a insônia para toda a família.

 

Como fazer meu filho dormir: dicas do curso online

Recém nascido: o sono do bebê em suas mãos

Você sabia que a qualidade do sono do bebê está em suas mãos? Você sabia que cerca de 90% do hormônio do crescimento é liberado durante o sono do recém nascido? Se você está lendo esse post e é daquelas pessoas desesperadas porque meu bebê não dorme, ou busca auxílio incessantemente de como fazer o bebê dormir a noite toda e quais são as melhores práticas de como fazer meu filho dormir, aqui está a notícia boa: você está no lugar certo.

A qualidade do sono do bebê está intimamente relacionada ao seu desenvolvimento pleno. Entretanto, não existe um manual pronto para resolver e identificar os impasses do bebê. Atualmente, a consultoria do sono materno-infantil, tão popular nos Estados Unidos, está ganhando espaço e conquistando o tão desejado sono de qualidade de toda a família.

Meu bebê não dorme: dicas preciosas

A pergunta de como fazer meu bebê dormir a noite toda é uma das mais procuradas. Mas saiba que dormir a noite toda não é sinônimo de dormir melhor. O importante no sono do bebê é ter momentos de sono profundo, sono mais consciente, segundo sua capacidade e maturidade fisiológica. Então, já exclua da sua mente a resposta de como fazer meu bebê dormir a noite toda, pois aqui vamos tratar da qualidade do sono.

Higiene do sono: como fazer meu filho dormir

Controlar o ambiente para que a produção da melatonina seja mantida e para que o bebê volte a dormir sem a intervenção dos pais é uma dica super valiosa, então anote bem!

a) Controle a temperatura: o bebê tem a mesma percepção de temperatura do que os adultos. Dessa forma, nada de deixar o quarto muito quente ou muito frio, pois assim você voltará a dizer que meu bebê não dorme. Deixe o ambiente fresco, em média de 22/23 graus, isso pode ajudar seu bebê a dormir melhor.

b) Isole o ruído externo: por mais que todos em casa se esforcem para não fazer ruídos, qualquer som de fora irá despertar o sono do bebê, seja o barulho do vizinho, da buzina ou um espirro. Portanto, ligue o ruído branco dentro do quarto, durante todo o período do sono do bebê. Atenção: a música para bebê dormir não é recomendada, pois devido a alteração dos tons de grave e agudo o bebê pode se assustar. Tente não utilizar música para bebê dormir, por mais calma que ela seja. Utilize ruídos como do ventilador ou até mesmo alguns aplicativos de celular.

c) Apague as luzes: no quarto, quanto menos luz, melhor. A luz branca, também presente nos computadores, televisão e celulares, emite uma onda azul que atua diretamente na glândula pineal, inibindo a produção do hormônio do sono, a melatonina. Caso seja necessário, utilize a luz vermelha, pois é a que menos interfere na produção de melatonina. Mas lembre-se: o ideal é não manter nenhuma luz!

Consultoria do sono: curso online

Aqui vão algumas perguntas: Seu filho dorme por poucas horas por dia? Seu filho apresenta despertares noturnos? Seu filho luta contra o sono? Seu filho vive irritado? Seu filho só dorme no colo ou no peito? Você não se lembra da última vez que ele dormiu bem? A hora de dormir não é um momento de prazer para vocês? Deseja construir uma relação de mais respeito e amorosidade?

Se você respondeu sim a, pelo menos, uma pergunta, saiba que o curso online é a sua chance de direcionar suas atitudes e influenciar o comportamento do sono do bebê. Mais dúvidas? Entre em contato conosco!

 

Amamentação: colostro, leite de transição e leite maduro

Colostro – a primeira fase do leite materno

O colostro, alimento rico em proteínas, é produzido em pouca quantidade no corpo da gestante, em torno da vigésima semana de gravidez. Sua secreção é estimulada por meio do aleitamento materno, logo após o parto, com durabilidade de mais ou menos três a cinco dias. Portanto, o primeiro leite do recém-nascido será o colostro materno, conhecido como a primeira vacina do recém-nascido.

O colostro tem a consistência mais líquida e o aspecto mais transparente que o leite materno, podendo ser comparado à água de coco. No entanto, contêm mais proteínas, mais anticorpos e menos gordura. Daí a importância de insistir na amamentação, pois o colostro protege o bebê de várias doenças e o alimenta muito bem.

Leite de transição – a segunda fase do leite materno

O leite de transição é a fase entre o colostro materno e o leite maduro. O leite de transição descerá à medida que o recém-nascido se amamente, pois quanto mais o bebê suga, mais a produção do leite materno é estimulada.

Importante salientar que a estrutura nutricional do leite materno acompanha o processo de amamentação e o amadurecimento do bebê. Dessa forma, o leite de transição é rico em proteínas e minerais como cálcio e fósforo. Além disso, nessa fase da amamentação, as mamas ficam mais cheias, firmes e pesadas. Mamadas frequentes do bebê por meio da livre demanda ajudam a aliviar o ingurgitamento.

Leite maduro – a terceira fase do leite materno

O leite maduro, estágio final e definitivo do leite materno, é produzido a partir de duas semanas após o parto. Nessa fase, o líquido é mais espesso e rico em gorduras. A composição do leite maduro é a receita perfeita e equilibrada para o desenvolvimento físico e cognitivo do bebê, veja só: macronutrientes (proteínas, lipídios e carboidratos) e micronutrientes (vitaminas, como a vitamina A e C, e minerais, como ferro, cálcio e zinco).

Sendo assim, o leite materno é primordial nas primeiras horas de vida do recém-nascido, quando ele se alimenta do colostro materno, quanto em todo o processo de amamentação, quando o leite humano fornece água e os nutrientes necessários para o bebê.

Dicas de como amamentar corretamente

De acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), a amamentação deve ser exclusiva até os seis meses de idade e utilizada como forma complementar até a criança completar dois anos.

Não existem receitas de bolo de como amamentar corretamente, entretanto seguir as recomendações dos órgãos de saúde pode ser uma ótima estratégia de proteger o bebê e ajuda-lo a produzir anticorpos.

Importante também seguir os sinais do organismo, pois durante a amamentação o leite humano nem sempre seguirá suas regras de composição, como do colostro materno, do leite de transição e do leite maduro. Pode acontecer de o leite materno ficar mais fino, aguado, ou mais grosso e cremoso. O importante é não deixar de amamentar!

 

O que Método Busquet e qual sua relação com o corpo dos bebês?

O Método Busquet é um tratamento alternativo, fisioterapêutico, que tem como objetivo aliviar as tensões e tratar as lesões provenientes da contração muscular. O método foi criado pelo professor de cinesiologia Léopold Busquet, que aliou conhecimentos de anatomia, fisiologia, física, química e biomecânica durante 50 anos de estudos e trabalhos na área.

Essa técnica da fisioterapia é um método terapêutico manual baseado em posturas de relaxamento que permite a liberação das cadeias musculares. As cadeiras musculares envolve a interação de um conjunto de músculos, de maneira harmônica, para que o movimento aconteça. Em outras palavras, o Método Busquet avalia, identifica e trata todas as tensões do sistema nervoso sinalizadas pelo corpo.

Método Busquet – Tensões nas cadeias musculares – Indicações

Não existem contraindicações para o Método Busquet, ele é indicado para todas as idades. O profissional realizará os testes necessários a fim de identificar nas cadeias fisiológicas suas zonas de tensão. Importante ressaltar que esse tratamento, apesar de indicado para todas as idades, respeita a fisiologia de cada idade, como recém-nascidos, crianças, atletas, idosos, etc.

Como tratar o refluxo em bebê com o Método Busquet?

O bebê recém-nascido também pode gerar lesão por meio da contração muscular, dificultado o processo de bem estar. As tensões nas cadeias musculares muitas vezes são provenientes do parto e/ou foram adquiridas durante o desenvolvimento do bebê, como deformações, torcicolo congênito e regurgitações (refluxo fisiológico).

O refluxo em bebê pode ser reflexo das tensões no seu sistema digestório que ainda está se adaptando e amadurecendo progressivamente. Dessa forma, para que não passe despercebido pelos pais, é importante tratar essa disfunção de forma adequada, evitando a compensação nos primeiros anos da infância.

Portanto, profissionais afirmam a importância do desenvolvimento das habilidades motoras, da motricidade, para garantir o equilíbrio e o bem estar do bebê. Ou seja, a motricidade é liberada quando as sequências motoras são harmoniosas, quando o corpo está livre de tensões e compressões. Caso contrário, o bebê irá expressar seu desconforto, o mal-estar, por meio da agitação motora, pois seu corpo não estará com a sensibilidade motora equilibrada e harmoniosa.

Método Busquet – o tratamento

Como já tipo, essa técnica é indicada para todas as idades. Pois, bem, como funciona?

Primeiramente o profissional realiza a anamnese, ou seja, a observação rigorosa a fim de encontrar evidências de desequilíbrio corporal, as zonas de tensão. Logo, a massagem será impulsionadora para a liberação das cadeias musculares, proporcionando o relaxamento. Nesse momento, o terapeuta pode perceber limitação da motricidade, seja pela tensão ou pela contração muscular. Por fim, a avaliação visceral vai identificar as dores internas que causam dor. Após a análise global, é possível explicar a origem das dores e o melhor tratamento indicado.

Se ainda restaram dúvidas sobre o Método Busquet e como ele pode auxiliar no equilíbrio do corpo do bebê, entre em contato. Garanta sono e qualidade de vida para seu bebê.

 

WhatsApp chat